em , ,

Hiatus Kaiyote no Circo Voador

Hiatus Kaiyote passou pelo Brasil na última semana para dois shows em dias consecutivos – em São Paulo e também no Rio de Janeiro, onde a banda australiana foi recebida com grande expectativa pelo público no palco do Circo Voador.

A noite havia começado chuvosa e timidamente o público foi chegando durante o show de abertura de Luiza Lian até que a arena do circo ficou tomada em ansiedade pelo início do show principal. E a Hiatus Kaiyote não deixou por menos, Nai Palm chegou festejando a cidade do Rio – que é tudo que o carioca gosta de ouvir, e mesmo ‘virados’ o grupo atacou de cara sua música contagiante.

Com o público que conhecia Hiatus extasiado e os que estavam sendo apresentados atordoados com a dinâmica musical, que extende seu território pelo pop, neo soul, free jazz e outras vastidões ainda não demarcadas, a banda percorreu o show intercalando seus principais sucessos com músicas menos conhecidas, mas não menos contagiosas, fazendo sucesso do início ao fim.

Toda música atual carrega algo de revolucionária, ainda que este não seja o principal componente componente da Hiatus Kaiyote, é sua contemporaneidade que torna o som tão incrível. Como Charlie Parker atordoando o mundo com o bop, ou Chico Science e Nação Zumbi globalizando o maracatu, Hiatus Kaiyote é frescor musical sem a necessidade de buscar inovação.

Uma catarse musical que ao buscar inspiração no passado, como uma entropia também proporciona uma conexão com o futuro.

Se as rádios e veículos de comunicação ficaram para trás tomadas pelo corporativismo, o público hoje conta mais do que nunca com a internet e com shows como este do Queremos! no Circo Voador e no Fabrique, em São Paulo, para se encontrar através da música.

Parece brega, mas em dias tão siturnos um alívio para relembrar que, apesar dos pesares, os tempos sempre continuarão mudando como cantou Dylan.

Em tempo, Hiatus Kaiyote é composta por Naomi “Nai Palm” (voz, guitarra), Paul Bender (baixo), Simon Mavin (teclado) e Perrin Moss (bateria, percussão). Além de contar com dois discos na bagagem, Tawk Tomahawk (2012) e Choose Your Weapon (2015), o quarteto faz algum tempo está trabalhando em seu terceiro disco.

Escute sem pressa: Hiatus Kaiyote

Deixe sua opinião

Maria Bethânia lança o álbum “Mangueira – A menina dos meus olhos”

Com “Queima”, Alaska anuncia o fim de suas atividades