Novo portátil da Sony pode transmitir jogos do seu PS5

60
0

Anteriormente conhecido como “PlayStation Q”, o portátil está longe de ser um novo PlayStation Vita.

Depois de uma provocar seus fãs para o “PlayStation Q”, a Sony revelou oficialmente o PlayStation Portal, um dispositivo portátil de US$ 200 (cerca de mil reais) que, segundo ela, será lançado “ainda este ano”.

A boa notícia: o Portal significa que a Sony está oficialmente voltando à corrida de hardware de jogos portáteis que abandonou após anos de lutas de mercado tanto para o PlayStation Portable quanto para o PlayStation Vita.

A má notícia: o Portal só pode rodar jogos transmitidos de um PlayStation 5 via Remote Play e por enquanto é completamente inútil para qualquer outra coisa.

Prós e contras

Um portátil de streaming dedicado pode parecer um pouco redundante para a Sony, especialmente porque o recurso Remote Play do PS5 já funciona com o telefone iOS ou Android que quase definitivamente já está no seu bolso (sem mencionar PCs com Windows, Macs, tablets e até mesmo outros PS5 ou consoles PS4). Encaixe um controlador móvel como o Razer Kishi V2 no seu telefone e você terá acesso essencialmente à mesma experiência de Remote Play oferecida pelo Portal.

Até mesmo portáteis de jogos baseados em Android prontos para streaming, como o AYN Odin (que também começa em US $ 200 em sua configuração “Lite”) parecem oferecer muito mais retorno pelo investimento. Pelo mesmo preço do Portal, o Odin permitirá que você transmita seus jogos e títulos PS5 de praticamente qualquer outro serviço de streaming de jogos e lhe dará acesso a um mundo inteiro de jogos e emuladores Android locais.

Ainda mais estranho, o Portal PlayStation nem sequer suporta jogos transmitidos diretamente através do serviço de assinatura de streaming em nuvem dedicado da Sony, o PlayStation Plus Premium. Em vez disso, cada jogo deve estar rodando em um PS5 de sua propriedade, de preferência na mesma rede local (o streaming totalmente remoto longe do seu PS5 também está disponível se você estiver disposto a tolerar a latência no nível da Internet). Este parece ser um recurso obviamente ausente para um dispositivo de streaming dedicado lançado pela própria Sony, embora, para ser justo, a Sony também não oferece streaming em nuvem em dispositivos móveis (uma diferença distinta dos esforços de streaming de jogos da Microsoft).

Dito isso, o Portal tem algumas vantagens sobre o Remote Play em outros dispositivos móveis, entre elas uma luxuosa tela de 8 polegadas, 1080p 60 Hz. O dispositivo também ostenta toda a ergonomia de um controlador DualSense e tem suporte para recursos como feedback tátil, gatilhos adaptativos e um “touchpad virtual” na tela sensível ao toque do dispositivo (nos raros jogos que o suportam).

Os jogadores que também investirem nos recém-anunciados fones de ouvido sem fio Pulse Elite ou Pulse Explore da Sony poderão aproveitar as vantagens do PlayStation Link e seu “áudio sem perdas de baixa latência” através do Portal. Mas a prévia prática do IGN observa que o Portal não suporta conectividade Bluetooth padrão, o que significa que os jogadores que possuem outros fones de ouvido sem fio estão sem sorte (fones de ouvido com fio podem ser conectados através de um conector padrão de 3,5 mm).

Agora é esperar se a Sony consegue convencer seu público de que US$ 200 é um preço justo a pagar por um dispositivo que pode funcionar como uma tela secundária para o PS5 Remote Play.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *