em ,

QUE MANGÁ #@$% – Marcha Para A Morte! da Devir

QUE MANGÁ #@$% | Marcha Para A Morte! da Devir, confira na análise de Vinicius do canal 2Quadrinhos.

Marcha para a morte!
Shigeru Mizuki
No final da II Grande Guerra, é ordenado aos soldados de uma companhia da infantaria japonesa que morram em honra do seu país ou serão executados no regresso da batalha. “Marcha para a Morte!”, baseado em factos reais e na experiência do autor enquanto soldado, relata as consequências devastadoras deste acontecimento para a moral dos soldados.
A narrativa poderosa e pungente traduz de forma compassiva as circunstâncias difíceis e caóticas, numa declaração de Mizuki contra a futilidade da guerra e a estupidez da mentalidade militar.

41 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Opa! Li esse mangá nesse mês e vi como mesmo na guerra as pessoas são diversas. Elas riem, choram, tem medo e depois, lutam. Dá para ver como aqueles que comandam os subordinados não estão nem ligando para eles, somente despejam ordens. Matem e depois, matem-se.

  2. Sobre a obra, é muito boa mesmo, vale muito a pena. Já sobre o autor eu acho que não vai atrapalhar a leitura saber mais sobre ele.
    No meu caso, eu já tinha ouvido falar tanto da obra quanto do autor, e não me atrapalhou na leitura ter estas informações.
    Acho necessário que nós como leitores tenhamos esta curiosidade de saber mais sobre as pessoas por trás das histórias que nós lemos.
    Principalmente no caso dele que sofreu na pele o que ele tenta narrar no mangá.
    Mesmo que não seja uma história de vida das mais bonitas… Ao meu ver, descobrir o que levou aquela pessoa a escrever tal história tende à ajuda mais na compreensão da obra.

  3. Esse mangá traz reflexões extremamente importantes atualmente no contexto da sociedade japonesa. Após a 2ª guerra, o país ficou tão impactado com o conflito que entrou numa espécie de negacionismo militar (representado em diversas obras culturais), inclusive promulgando uma Constituição pacifista que proíbe a formação de um exército com fins de "ataque", apenas com propósitos exclusivamente defensivos, proíbe também o país de se tornar potência militar a nível de ameaçar outros países, bem como o desenvolvimento de armamento nuclear.
    O artigo 9º da Constituição afirma explicitamente: "o povo japonês renuncia para sempre o uso da guerra como direito soberano da nação ou a ameaça e uso da força como meio de se resolver disputas internacionais.

    Com a finalidade de cumprir o objetivo do parágrafo anterior, as forças do exército, marinha e aeronáutica, como qualquer outra força potencial de guerra, jamais será mantida. O direito a beligerância do Estado não será reconhecido."
    Contudo, atualmente a sociedade japonesa discute se o Japão deveria retomar o desenvolvimento de um exército não apenas "defensivo" e alterar a Constituição, impulsionado pelas políticas do atual 1º ministro.

  4. Não lia mangás até a Panini lançar Vagabond e agora acompanho alguns (os mais óbvios), ou seja, não tenho muito conhecimento sobre. Também não gosto muito do gênero guerra, seja filmes, livros ou hq's mas por um motivo obscuro, semana passada vi este mangá com desconto na amazon e comprei. Agora sai teu vídeo elogiando… vou conferir logo, logo…

  5. Vini cara, obrigado por fazer um vídeo desse mangá! Eu queria muito ver outros canais falando desse mangá ESPETACULAR! Foi com certeza uma das leituras mais impressionantes de quadrinhos que eu tive. E o final, então?! Sem palavras. Uma obra que todo mundo deveria dar uma chance e ler. Muito obrigado por esse vídeo. Dá pra sentir o quanto te impactou. Abraços cara!

  6. Cara, é difícil acompanhar seus reviews, sem cair na tentação de adquirir esses quadrinhos.
    O problema é que vc só faz indicação filé, e é tanta coisa boa, que fica difícil ter bolso pra bancar esse hobbie. Mas não pare por favor, continue sendo essa referencia para nós consumidores de HQ… E sim, eu vou acabar comprando esta porra, (cedo ou tarde) kkkkkk.
    Abs

  7. Listas de melhores do ano deveriam ser feitas em Fevereiro/Março. Provavelmente o maior lançamento de mangá do ano passado (Pun Pun) ficará de fora das "listas" por vocês ansiarem em fazê-la logo no começo do ano e sem ter tempo de ler os lançamentos relevantes de final de ano.

Deixe sua opinião