quarta-feira, 19 setembro, 2018

André Tag

Sherlock Holmes: Inteligente Brutalidade

Por André Tag Hollywood, há muito, adota a seguinte prática. Utiliza narrativas e personagens conhecidos e os transforma em blockbusters (Filmes Arrasaquarteirões). Daí, por exemplo, a profusão de tantos filmes...

Festival do Rio: Rip – Um Manifesto Remixado

Na arte que se faz atualmente existe muito pouca autonomia. O fruidor de alguma obra sempre poderá identificar alguma obra anterior no que está apreciando. Eu disse “atualmente”? Shakespeare...

Festival do Rio: O Dia da Saia

Um Dia Cão Uma temática excessivamente recorrente no cinema francês contemporâneo é a questão da inserção do imigrante e de seus descendentes, de cidadania francesa, junto a sociedade e a...

Festival do Rio: 24 City

Foi com a imagem de operários saindo de sua fábrica em Lyon que os irmãos Lumière inauguraram o Cinema. Com “24 City” de Jia Zhang Ke, o que assistimos...

Festival do Rio: Bad Lieutenant, de Werner Herzog

Diante dos infinitos recursos da indústria cinematográfica hollywoodiana, Werner Herzog, diretor deste “Bad Lieutenant, Port of Call New Orleans”, o cineasta alemão, demonstrando grande honestidade, pagou direitinho direitos e...

Festival do Rio: As Praias de Agnes

Pequena Notável Agnès Varda, diretora de “As Praias de Agnes”, é fantástica. É considerada percussora da Nouvelle Vague com seu La Pointe Courte (1954) que mescla documentário e ficção. Mais...

Festival do Rio: Saí no Meio I

Nesta seção, o leitor poderá constatar que há críticos que se recusam a sofrer tortura. Este é um ato admirável de resistência e autopreservação. Que isto seja valorizado. Arranca-me a...