Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

A vida de Rita von Hunty em crônicas no Flipoços 2024

Guilherme Terreri Lima Pereira, mais conhecido pelo nome artístico Rita von Hunty, é uma presença confirmada no Flipoços 2024. Ele estará no Festival no dia 02 de maio, quinta-feira, às 17h30 no Palco Central – Coreto Cultural da Vila Literária na Mesa “As crônicas de Rita von Hunty”.

Guilherme se formou em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), e em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), trabalhou como ator durante alguns anos antes de ter que se mudar para São Paulo. É professor, ator, comediante, youtuber.

Em 2013, durante o carnaval, decidiu dar vazão à sua veia artística ao ir a uma festa, caracterizado como Rita von Hunty. Lá recebeu um convite para fazer um trabalho para uma empresa, dando início à sua personagem drag Rita von Hunty. Ele criou este personagem para quebrar com estereótipos sobre drag queens, como ser uma caricatura do feminino ou superficial. Seu nome advém de Rita Hayworth, famosa atriz americana dos anos 40. “Hunty” é uma gíria da comunidade drag para demonstrar afeição ou carinho e “von” remete à realeza.

Em Poços de Caldas, o ator não estará “montado” exatamente para contar com tranquilidade sobre a criação da personagem, que hoje é um ícone e uma referência na categoria “drags”.  Além disso, baseado na temática do Festival, Guilherme terá “muitos causos” para contar destes anos todos como “performer” de Rita von Hunty.

Participa com ele desta conversa o escritor e jornalista Valmir Moratelli que é doutor em Comunicação pela PUC-Rio e autor do livro “A invenção da velhice masculina” (ed. Matrix), fruto de sua tese de doutorado. É colunista da revista VEJA, professor da ESPM e diretor de cinema. Seu livro anterior, “Armários Abertos”, traz depoimentos sobre identidades LGBTQIAPN+. Valmir, desenvolve pesquisas sobre envelhecimento, representação de gêneros, masculinidade e novas formas de linguagens audiovisuais. Entre os filmes que dirigiu, estão “Rosa – A narradora de outros Brasis” (2023), vencedor do festival de Vassouras como Melhor Documentário; “Corpo São” (Primebox, 2022), sobre pessoas gordas; e “Prateados – A Vida em Tempos de Madureza” (Globoplay, 2021), sobre as temáticas do envelhecimento brasileiro. Valmir participa ainda no dia 03 de maio, às 18h, da mesa “Representações do homem idoso: machismo, patriarcado e etarismo na História das Artes” com a apresentação de Marcelo Abuchala e Alexandre Ribeiro.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Rapha Fernandes lança “Coco”

Próxima publicação

Polo cultural é inaugurado na celebração dos “150 Anos da Imigração Italiana no Brasil”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir