Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Cinemateca Brasileira apresenta Retrospectiva David Lynch

David Lynch vai ganhar uma Retrospectiva pela Cinemateca Brasileira no mês de fevereiro entre os dias 02 e 12 de fevereiro. A instituição vai exibir grandes obras do cineasta como Twin Peaks e os filmes Veludo Azul e O Homem Elefante.

Com 8 dos seus 10 longas-metragens, a retrospectiva vai exibir na íntegra a primeira temporada de sua consagrada série de televisão Twin Peaks (1990), da qual dirigiu dois episódios.

Apesar de nascer em um subúrbio de Montana, é a cidade de Filadélfia, na Pensilvânia, que Lynch credita ser sua maior inspiração. Ao se mudar para lá para cursar faculdade de artes visuais, em meados dos anos 1960, o cineasta conheceu uma urbe decadente e violenta, que despertava um constante estado de medo e tensão. Sugestões dessa experiência estão presentes em seu longa-metragem de estreia, Eraserhead (1977), em que o protagonista precisa lidar com seu bebê-monstro em uma cidade industrial escura, permeada por sons e imagens sinistros. Mas as primeiras experimentações com o cinema vieram anos antes, ainda na década de 60, com a produção de diversos curtas-metragens que já apontavam o nascimento de uma voz original e ousada no cinema americano.

O interesse pela vida pacata no subúrbio (às vezes nem tão pacata assim), sequências oníricas, narrativas fragmentadas e um desenho de som minucioso são características de seus filmes. Seu estilo é invariavelmente associado ao surrealismo, tal como Eraserhead havia mostrado ao mundo.

Nos anos seguintes, Lynch buscou se assentar em Hollywood com filmes menos experimentais, embora ainda audaciosos: com O homem elefante (1980) e Veludo azul (1986), recebeu indicações ao Oscar de Melhor Diretor, tornando-se um nome de peso. Com Coração selvagem (1990), recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Em História real (1999), roteirizado por sua ex-esposa e colaboradora de longa data, adota um estilo tão convencional de direção que, por isso mesmo, considera ser a experiência mais experimental que já teve em um set de filmagens.

Outros longas que compõem a mostra e que retomam seu estilo mais experimental são Estrada perdida (1997), Cidade dos sonhos (2001) — projeto de série de TV que não vingou e acabou se tornandotalvez o mais aclamado longa-metragem do diretor —, e Império dos sonhos (2006), sua primeira incursão no vídeo. Os dois últimos retratam uma Los Angeles imperdoável que aflige suas sofridas protagonistas, atrizes interpretadas por Naomi Watts e Laura Dern, respectivamente, em performances inesquecíveis. As duas, aliás, são constantes colaboradas de Lynch, assim como outros nomes como Kyle MacLachlan, Jack Nance e Harry Dean Stanton, além do compositor Angelo Badalamenti, que faleceu em dezembro de 2022 e cujas trilhas musicais marcaram a filmografia do cineasta.

A entrada é gratuita e os ingressos serão distribuídos 1 hora antes de cada sessão. A Cinemtateca Brasileira fica na Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo capital.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Adama Niane, ator da série ‘Lupin’, morre aos 56 anos

Próxima publicação

Gabrielle Aplin lança “Skylight” em dueto com Zeeba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir