MASP promove a 5ª edição da Semana Paulista de Dança

Temporada marca a volta de Carlinhos de Jesus ao palco no vão do MASP e companhias de diferentes estilos de dança

8
0

O MASP — Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand apresenta, de 23 a 27 de agosto de 2023, a 5ª edição da Semana Paulista de Dança, com apresentações gratuitas no MASP Auditório e no vão livre do museu. Com curadoria de Anselmo Zolla, coreógrafo e diretor artístico da Studio3 Cia. de Dança, a temporada conta com a participação das companhias Studio3 Cia de Dança, Márcia Milhazes Companhia de Dança, Palácio das Artes, Cia de Ballet Dalal Achcar, São Paulo Companhia de Dança, Cia Carlinhos de Jesus, Cena 11 e Companhia de Danças de Diadema. A Semana Paulista de Dança tem patrocínio da Klabin.

Idealizada em 2018, a Semana Paulista de Dança tem o propósito de aproximar a cidade da dança e da cena contemporânea, por meio de uma programação diversa e gratuita. “Em diálogo com a missão do MASP, essa edição traz uma programação diversa e plural, com uma curadoria descentralizada, trazendo companhias de dança de diferentes estados do Brasil e estilos de dança variados, desde o balé clássico até a dança de salão”,conta o curador Anselmo Zolla.

Para a noite de estreia da Semana, o Studio3 Cia. de Dança apresenta o espetáculo PARIS, uma homenagem a grandes nomes do século 20, como Igor Stravinsky, Gabrielle Chanel, Josephine Baker e Pablo Picasso. Na quinta-feira (24), a Marcia Milhazes Companhia de Dança, do Rio de Janeiro, apresenta Paz e amor II, uma obra coreográfica que reverencia o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. A Cia. de Dança Palácio das Artes, de Minas Gerais, retorna à capital paulista dez anos depois, com a apresentação Poderia ser rosa, na noite de sexta-feira (25), abordando o tema do feminicídio. Em seguida, a Cia de Ballet Dalal Achcar, do Rio de Janeiro, sobe ao palco com o espetáculo MACABÉA, inspirado livremente na obra A hora da estrela, de Clarice Lispector.

A programação do fim de semana começa com espetáculos concebidos especialmente para o vão livre do MASP. No sábado (26), destaca-se a apresentação RIO DE JANEIRO, que marca a volta aos palcos do dançarino Carlinhos de Jesus e sua companhia de dança, com uma homenagem às danças populares do Rio de Janeiro, incluindo o chorinho, o samba percussivo e a bossa nova. À noite, o grupo Cena 11 apresenta Eu não sou eu em mim, projeto que propõe um contraponto anarco-coreográfico em torno do conceito de “povo brasileiro” — como alteridade, identidade, comportamento, e linguagem em dança e coreografia — presente na obra de Darcy Ribeiro.

No domingo, a Companhia de Danças Diadema traz um espetáculo que convida o público infantil a usar a imaginação. E, para finalizar a semana, a São Paulo Companhia de Dança apresenta Umbó, acerca do desejo de se tornar quem quiser,e Veias Abertas inspirada livremente na obra As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano.

Programação:

Quarta-feira, 23 de agosto

MASP Auditório | 20h

Studio3 Cia. de Dança / SP

Espetáculo: PARIS

Classificação etária: Livre

Duração: 60 min

Sinopse: PARIS é um delírio onírico de imagens, lembranças e emoções de algum momento no século 20 onde grandes artistas se encontravam na capital francesa, símbolo de cultura, criação e escândalos. Nomes como Vaslav Nijinsky, Igor Stravinsky, Cole Porter, Gabrielle Chanel, Isadora Duncan, Marlene Dietrich, Josephine Baker, Pablo Picasso, Tâmara Karsavina e Boris Kochno são homenageados no espetáculo que mescla dança, teatro, vídeo-projeções e canto ao vivo, proporcionando uma imersão num universo rico de emoções e conflitos retratado por uma companhia de grandes intérpretes de diversas gerações. PARIS estreou no MASP Auditório em março de 2023.

Quinta-feira, 24 de agosto

MASP Auditório | 20h

Marcia Milhazes Companhia de Dança / RJ

Espetáculo: Paz e amor II

Classificação etária: Livre

Duração: 50 min

Sinopse: Paz e Amor II é uma obra coreográfica que se apresenta como desdobramento de uma criação concebida online, durante a pandemia, pela companhia. Dois solos entrelaçam um diálogo com a importante pianista japonesa Yuka Shimizu. Um manuscrito sobre o sensível e a fantasia que nos habita como celebração da vida e esperança no humano e que reverencia o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, trazendo peças para piano solo de Heitor Villa Lobos (Melodia Sentimental, Bachianas n°4, Impressões Seresteiras, Valsa da Dor, Prelúdio Op.20, Ondulando e Festa no Sertão) e Ernesto Nazareth (Improviso, Apanhei-te cavaquinho, Escorregando e Fon Fon).

Sexta-feira | 25 de agosto

MASP Auditório | 20h

Cia. de Dança Palácio das Artes / MG

Espetáculo: Poderia ser rosa

Classificação etária: Livre

Duração: 20 min

Sinopse: O espetáculo Poderia ser Rosa aborda o feminicídio a partir das histórias de quatro casais, que apresentam o começo de suas relações e seus distintos desmembramentos. Concebido em 2001, o espetáculo parte da ocorrência de um assassino em série de mulheres na cidade de Belo Horizonte.O elenco feminino da companhia participou ativamente da construção do espetáculo, expressando sua opinião e sentimentos sobre o tema, assumindo assim o protagonismo da obra por meio de atos sensíveis de acolhimento diante da violência contra a mulher.

Cia de Ballet Dalal Achcar / RJ

Espetáculo: MACABÉA

Classificação etária: Livre

Duração: 30 min

Sinopse: MACABÉA é uma apresentação de balé clássico que reflete sobre a indiferença para com os sentimentos e necessidades dos outros. O espetáculo, que foi o primeiro trabalho coreográfico da bailarina Márcia Jaqueline, tem inspiração livre no romance A hora da estrela (1977), de Clarice Lispector.

Sábado, 26 de agosto

Vão livre do MASP | 14h

São Paulo Escola de Dança / SP

Espetáculo: Cartas de Amor

Classificação etária: Livre

Duração: 18 min

Concebida para o vão livre do MASP

Sinopse: Composta por cinco coreografias, de cinco diferentes artistas — Claudia Palma, Vinícius Anselmo, Kátia Barros, Sérgio Rocha e Leilane Telles — Cartas de Amor (2023), da São Paulo Escola de Dança, é uma obra que aborda o reconhecimento de si diante da partida de uma pessoa amada. Em cena, vinte intérpretes — estudantes dos Cursos Regulares da Escola — revelam a potência da dança em uma obra multifacetada e dinâmica. Com direção artística e educacional de Inês Bogéa, o programa é composto por: Mergulho, de Sérgio Rocha ao som do 1º movimento do Quinteto de Cordas, de Clóvis Pereira; Lamento de Orfeu, de Kátia Barros, com Amor em Lágrimas, de Vinícius de Moraes e Cláudio Santoro; O Último Beijo, de Vinícius Anselmo com Ouve o Silêncio, de Vinícius de Moraes e Cláudio Santoro; Aqua, de Cláudia Palma, com Se Todos Fossem iguais a Você, de Tom Jobim e O Samba de Orfeu, de Leilane Teles, com Samba de Orfeu, de João Donato.

Cia. de Dança Palácio das Artes / MG

Espetáculo: (In) tensões

Classificação etária: Livre

Duração: 20 min

Concebida para o vão livre do MASP

Sinopse: Concebido coletivamente a partir de experimentos e reflexões inspirados em trechos de espetáculos da Cia. De Dança Palácio das Artes, (In) tensões sugere uma situação de jogo tensionando corpo, espaço, movimento e ações internas que relacionam tempo e percepção de si mesmos. O projeto inicial, idealizado pelo então diretor Cristiano Reis em 2019, teve como premissa a criação de um trabalho dirigido pelas bailarinas do corpo artístico, desse modo, o elenco masculino atuaria sob essa condução. A partir dessa configuração, foram propostas pelos diretores atuais da companhia algumas provocações aos bailarinos, entre as quais: Como você vivencia um conflito? Quais são os pontos seguros em que você se apoia? E quais são seus pontos frágeis? O resultado poderá ser visto no palco.

Cia de Ballet Dalal Achcar / RJ

Espetáculo: SEM VOCÊ

Classificação etária: Livre

Duração: 30 min

Concebida para o vão livre do MASP

Sinopse: SEM VOCÊ é uma apresentação de balé clássico que fala sobre o amor em seus diferentes formatos: o amor romântico, fraterno, pela vida, por entes que faleceram e o amor efêmero e saudosista. A obra é acompanhada por uma trilha sonora sensível cantada por vozes femininas.

Studio 3 Cia. de Dança / SP

Espetáculo: Rasga o Coração

Classificação etária: Livre

Duração: 20 min

Concebida para o vão livre do MASP

Sinopse: O espetáculo Rasga o Coração é uma celebração da alma brasileira através da música e da dança, traduzindo a alegria e lirismo do brasileiro. O sentimento de festa permeia todo o espetáculo embalado por Francisco Mignone, Schubert, Dimitri Cervo e três obras-primas também de Heitor Villa Lobos: O Trenzinho Caipira (Bachianas Brasileiras n° 2) e excertos da Bachianas Brasileiras n° 9 e do Choros n° 10Rasga o Coração. A apresentação é composta por um palco claro, aberto, luminoso, com oito mesas que criam ambientes diversos, arquiteturas, planos e moldura para o desenho coreográfico. Rasga o Coração é uma vastidão de sentimentos, sensações e ritmos, dançados por uma companhia composta por bailarinos de diferentes gerações, trajetórias, técnicas e corpos unificados pelo prazer da dança e pelo desejo de traduzir toda dimensão poética e bela deste universo chamado Brasil.

Cia Carlinhos de Jesus / RJ

Espetáculo: RIO DE JANEIRO

Classificação etária: Livre

Duração: 20 min

Concebida para o vão livre do MASP

Sinopse: A Cia de Dança Carlinhos de Jesus apresenta um pocket show das danças populares do Rio de Janeiro. Carlinhos de Jesus e mais dez dançarinos da companhia interpretam os ritmos do chorinho, do samba percussivo, da bossa nova, do samba no pé e sambas de gafieira, manifestações populares importantes do sudeste brasileiro. No final do espetáculo o público é convidado a interagir com o grupo em uma aula aberta de samba no pé.

MASP Auditório | 20h

Grupo Cena 11

Espetáculo: Eu não sou eu em mim – Estado de natureza – procedimento 01

Classificação etária: 16 anos

Duração: 60 min

Sinopse: Eu não sou só eu em mim é o primeiro procedimento de aplicação teórico-prática do novo objeto de pesquisa do Grupo Cena 11 para 2023/2024: Estado de Natureza. O projeto propõe as tensões práticas e terminológicas da falsa dicotomia entre comportamento e linguagem à luz da tecnologia como natureza. Eu não sou só eu em mim é também apresenta um contraponto anarco-coreográfico em torno do conceito de “povo brasileiro” — como alteridade, identidade, comportamento, e linguagem em dança e coreografia — presente na obra de Darcy Ribeiro.

Domingo, 27 de agosto

MASP Auditório | 11h

Companhia de Danças de Diadema / SP

Espetáculo infantil: Nas Águas do Imaginar

Classificação etária: Livre

Duração: 55 min

Sinopse:Uma trupe de artistas se aproxima da plateia, conversando e cantando com as crianças ali presentes. Através de brincadeiras e da música, inicia-se a aventura. Em seu quarto, uma criança ao sonhar, é surpreendida por seres fantásticos que surgem instigando sua imaginação. O quarto branco, com algumas roupas e objetos jogados no chão, se enche de cor e magia com a presença destes personagens. Na busca pela diversão, a criança vestida de coragem e criatividade esbarra e conhece estes seres diversos que propõem uma viagem ao mundo do imaginar. Buscar o que está do lado de fora? Desbravar seu universo interior? Qual caminho seguir? É com estas perguntas que a companhia convida a todos a viajar por esse universo repleto de surpresas e fantasias.

MASP Auditório | 20h

São Paulo Companhia de Dança

Espetáculo: Umbó e Veias abertas

Classificação etária: Livre

Duração: 35 min

Sinopse: A São Paulo Companhia de Dança apresenta duas coreografias, sob direção de Inês Bogéa: Umbó, de Leilane Teles e Veias Abertas, de Poliane Fogaça. Umbó se baseia em uma premissa batizada como “a criação do desejo”, que fala sobre o desejo de se tornar quem quiser a partir de determinada referência e como isso se reverbera no corpo de cada um. O cantor e compositor Tiganá Santana, a cantora Virginia Rodrigues e o coreógrafo Matias Santiago são o ponto de partida que convida o público a apreciar e reverenciar as artes e trajetórias dessas personalidades, bem como os bailarinos em cena e todos os artistas envolvidos na concepção da obra. Veias Abertas apresenta uma coreografia intensa inspirada livremente na obra literária As veias abertas da América Latina, do escritor uruguaio Eduardo Galeano e nas canções da cantora argentina Mercedes Sosa (1935-2009). A dramaticidade da coreografia é transmitida na interpretação dos bailarinos, seja nos solos, duo, trios ou o grupo todo, conectados pelo ritmo e movimentos.

SERVIÇO

5ª EDIÇÃO DA SEMANA PAULISTA DE DANÇA
23.08 — 27.08.22
MASP — Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand
Avenida Paulista, 1578 — Bela Vista
01310-200 São Paulo, SP
Telefone: (11) 3149-5959
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos conforme horário de chegada

Sal
WRITTEN BY

Sal

on drums

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *