Performance ‘Corpo-Árvore’ estreia no Sesc Pompeia

6
0

Será que no futuro o desenvolvimento tecnológico poderá recriar o sistema orgânico de uma árvore? A Amazônia, assim como a Floresta do Congo e demais áreas florestais do mundo irão desaparecer? A partir desses questionamentos, o coletivo (se)cura humana – encabeçado por Flavio Barollo (videoartista e performer) e Wellington Tibério (geógrafo e doutorando pela USP) – apresenta a performance inédita Corpo-Árvore nos dias 22 e 23 de abril, sábado e domingo, às 17h, no Sesc Pompeia.

Corpo-Árvore integra uma série de ações que o coletivo (se)cura humana vem realizando dentro do projeto Ambiente Político do Sesc Pompeia. Desde o mês de março já aconteceram expedições, palestras, bate-papos, oficinas e performances. A ação conta com a participação, além de Flavio Barollo e Wellington Tibério, do biólogo e construtor Jeferson Rogério e da performer e bailarina Malu Avelar.

A performance apresenta, em um futuro de colapso ambiental, alguns sobreviventes que encontrarão a última árvore restante do planeta, mas completamente despedaçada. Em um ato de busca por salvação tentarão fazê-la ressuscitar e produzir umidade novamente. Para isso, utilizarão suas máquinas e tecnologias com o objetivo de recriar o seu sistema orgânico, originando assim uma árvore-máquina. Essa mescla de ser vivo e equipamento, deverá por meio de sua evapotranspiração, umidificar a vida ao seu redor e quem sabe restituir os importantes rios voadores que distribuem umidade pelo mundo.

Para Flavio Barollo, Corpo-Árvore debate questões importantes em um mundo que ruma para o colapso e em que parte expressiva da comunidade dos humanos tem apostado em saídas tecnológicas para se esquivar do problema e manter seu modo de vida. “No Dia do Descobrimento do Brasil precisamos ter um olhar crítico para a invenção desse país, que teve como base a exploração irrestrita da natureza. Foi para isso que o Brasil passou a existir, esse foi o projeto inaugural instaurado nessas terras”, explica o artista.

Já para Wellington Tibério, a performance é uma oportunidade de diálogo sobre o desenvolvimento do mundo e a relação com os elementos da natureza nas cidades. “Uma inconveniente realidade tem mostrado, cada vez mais, o nosso devido lugar de parte de um grande sistema. Há limite para aquele projeto que se instaurou aqui há 523 anos. Há limite para a ação humana sobre o planeta. Vários povos sempre entenderam isso, mas nós estamos precisando vislumbrar o risco à nossa condição de existência para entendermos que esse limite realmente existe”, pontua ele.

Serviço:

Corpo-Árvore
Com o coletivo (se)cura humana – Flavio Barollo, Wellington Tibério, Jeferson Rogério e Malu Avelar, no Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93 – Pompeia, São Paulo.
Dias 22 e 23 de abril, sábado e domingo, às 17h.
60 minutos | Livre | Gratuito.

Ficha Técnica:

Concepção e Roteiro da Performance – Flavio Barollo e Wellington Tibério. Direção Artística – Flavio Barollo. Performers – Flavio Barollo, Wellington Tibério, Jeferson Rogério e Malu Avelar. Colaboração Criação Artística – Edu Marin. Provocação Conceitual – Gabriela Leirias. Trilha Sonora Original – Craca. Coordenação Técnica – Jeferson Rogério.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *