em

Cenas famosas de suspense

O Suspense, grossa categoria arbitrária do Cinema, é a medida exata para a formulação de cenas que encontram certeiramente nossa ânsia pelo desenrolar do enredo, seja adiando ações ou prolongando-as. A linha – estética; um vernáculo demasiado – dessa expressão é justamente a demora para atiçar a curiosidade e o nervosismo. A ânsia por resultados.
Há diversos nomes de cineastas que fizeram desse sentimento um ótimo jogo de quadros, bem como o famoso período noir americano.
O suspense perpassa as grandes telas em sua história e obras e produtos. Vejamos algumas cenas famosas de diversos filmes – que possuem diversas outras classificações além do unicamente gênero Suspense.

Notemos o clichê do uso do suspense no Cinema atual para a articulação de investigações e mistérios, mas o que é o suspense de nossas experiências na vida senão a demora e a dúvida!?

Perfect Blue

Animação de Satoshi Kon que mostra incursões dentro de realidades imaginadas, nos sonhos. As cenas que desconectam o plano dos sonhos e do imaginário da personagem Mima para a realidade do filme, e vice-versa, são o suspense entre o fofo e o cruel.

Um Corpo Que Cai

Clássico da filmografia de Hitchcok – importa dizer que é tido como mestre da grossa categoria? O longa retrata uma investigação nas alturas de construções por um detetive acrofóbico. O suspense é o mistério de cada cena de perseguição e de descobertas.

O Operário

O drama psíquico retorna ao suspense como resposta de enredo para a curiosidade: qual o problema e segredos do personagem de Bale?

Cisne Negro

Familiar do filme acima (de Brad Anderson), a recente obra estreada por Natalie Portman recorre à mesma formula de uso da ânsia do telespectador. Resultado mais que competente.

Cidade dos Sonhos

A obra surrealista de David Lynch se distorce em epifanias neblinadas pelo suspense das perguntas sem óbvias respostas. Estético.

Twin Peaks

Lynch e Frost semeavam o suspense policial em cada episódio do seriado a respeito da morte misteriosa de Laura Palmer.

Gilda

A era de ouro de Hollywood produziu esse drama noir de prendas leves e encantador pela beleza e atuação de Rita Hayworth. A cena da morte de seu verdadeiro amor – ou maldição – intriga. Bem como a virada de cadeira da ruiva Gilda.

A Marca da Maldade

Clássica e sombreada, a cena de abertura dessa obra de Orson Welles denota no limite da perfeição (o que o Suspense é).

Participe com sua opinião!