JoJo’s Bizarre Adventure, de Hirohiko Araki, extravagante e imprescindível

Ambrosia Anime JoJo’s Bizarre Adventure, de Hirohiko Araki, extravagante e imprescindível

O tempo não para, se alimentando desse vácuo que deixamos e que de repente quando darmos conta, já se passaram anos. Dentro da cultura, há momentos parecidos, há obras que são deixadas de lado, por um longo período de tempo até que finalmente algo ocorre, para que possam ser apreciadas.
A cultura é uma mercadoria e uma propensão para que sejamos pacientes. Há casos, que o atraso de um determinado trabalho é decorrente da necessidade de obter uma licença, especialmente se essa licença depender de condições difíceis para obtê-la.
No caso, dos mangás, a licença pode não ocorrer por decorrer, seja por falta de leitores que iria apoiar, pela censura em relação ao sexo ou incapacidade de fornecer uma edição para combinar a obra.
Jojo’s Bizarre Adventure, um mangá com enorme sucesso dentro e fora do Japão por três décadas e que aqui tivemos que nos contentar com a leitura em versões importadas ou através das sagas em anime. Enfim a Panini trouxe a publicação para podemos desfrutar deste trabalho espetacular de Hirohiko Araki.
JoJo’s Bizarre Adventure, de Hirohiko Araki, extravagante e imprescindível | Anime | Revista Ambrosia
Jojo’s Bizarre Adventure é umas das grandes obras em quadrinhos japonês, tanto por sua fama e êxito, como por sua longevidade e número de volumes publicados.
Hirohiko Araki, escreve e ilustra, desde o início em 1987, com a saga Phantom Blood, publicada na revista Weekly Shōnen Jump de Shueisha até o ano de 2004, quando levada para a Ultra Jump. Atualmente, o mangá segue sendo publicado com a saga Jojolion de 2011.
Jojo’s é o segundo mangá mais longevo do Japão, sendo superado pelo mítico Kochikame (Osamu Akimoto). Uma obra com mais de cem milhões de cópias impressas ao longo de décadas e que se expandiu para diversos outros meios além do mangá, com adaptações para o anime, videogames, romances, novelas, teatro, spin offs…
JoJo’s Bizarre Adventure, de Hirohiko Araki, extravagante e imprescindível | Anime | Revista Ambrosia
Para Hirohiko Araki, Jojo’s é, evidentemente, o grande trabalho de sua carreira, pelos 30 anos dedicados, o que lhe valeu o reconhecimento de leitores em todo o mundo.
No entanto, Araki não é um one-hit wonder, já que deste os anos 1980 mostra sua qualidade, ganhando o Prêmio Tezuka  com Mashōnen B. T., e de seu punho vieram nas páginas da Shōnen Jump semanal: Baoh e a coleção de one-shots Gorgeous Irene, isso tudo antes de trabalhar na primeira saga de Jojo’s e desde então tem combinado a longevidade de sua saga com trabalhos menos, sendo a maioria one-shots ou mangás de 1/2 volumes.
Apesar de todos esses anos de produção, Araki é e será reconhecido como o autor que concebeu a estranha aventura de Jojo.
O mangá é conhecido por ser dividido em partes ou sagas, cada uma com diferentes temas e personagens, embora ligados de uma forma ou outra uns aos outros, e com inúmeras referências a outros campos culturais, como a música (especialmente rock), cinema, moda, gastronomia, literatura …
Há 7 sagas completas até agora e 1 em curso: Phantom Blood (1987), Battle Tendency (1987-89), Stardust Crusaders (1989-1992), Diamond Is Unbreakable (1992-1995), Vento Aureo (1995-1999), Stone Ocean (2000-2003), Steel Ball Run (2004-2011) e Jojolion (2011-até agora).
JoJo’s Bizarre Adventure, de Hirohiko Araki, extravagante e imprescindível | Anime | Revista Ambrosia
Jojo nos conta a história da família Joestar, uma poderosa e nobre linhagem britânica cujos membros ao longo de várias gerações estão destinados a enfrentar várias ameaças sobrenaturais graças aos poderes que possuem como membros daquela família.
E é Phantom Blood que abre a coleção, trazendo a história de Jonathan Joestar, o primogênito da família, que ver como sua tranquila vida aristocrática na Inglaterra do século XIX muda após a chegada de Dio Brando, um  jovem órfão que George Joestar, o patriarca familiar, decide adotar o rapaz, filho do homem que salvou sua vida. No começo, Jojo tenta fazer amizade com Dio, mas ele tem apenas uma ideia em mente: isolar e psicologicamente minar seu meio-irmão para se destacar e obter a fortuna da família dos Joestar a qualquer preço.
Este primeiro volume nos conta os primeiros anos de relacionamento entre os dois e o início da rivalidade entre os dois, que mais tarde será estendida aos seus descendentes.
Após o início do plano de Dio, durante a adolescência, o ritmo narrativo do volume rapidamente nos leva ao período universitária, Dio entrando no direito e Jojo em arqueologia. Os estudos de Jojo não são escolhidos aleatoriamente, já que finge ser um arqueólogo para desvendar mistérios como a misteriosa máscara de origem asteca que sua família possui. Em toda a Inglaterra vitoriana, testemunharemos as primeiras aventuras de Jojo e Dio com essa máscara, que além de seu valor arqueológico, parece ter uma conexão estranha com poderes místicos e sobrenaturais.

#Novidades