Pitty faz a festa dos fãs nos 20 anos de Admirável Chip Novo no Rio

45
0

“Era para ser só um bolinho e foi um ano de festa”, disse Pitty, a certa altura do show, para o público que compareceu ao Qualistage, no Rio de Janeiro. Na noite de ontem (6), a roqueira baiana não escondia a empolgação com o sucesso da turnê ACNXX. Trata-se da comemoração dos 20 anos de “Admirável Chip Novo” (como passou rápido!), o álbum de estreia da cantora, que já passou por todo Brasil, inclusive festivais como o The Town, e fez o que deve ser a última passagem pelo Rio, já que no próximo ano deve ser iniciada uma nova excursão. E Pitty não deixou de lembrar do lançamento do dia, “Admirável Chip Novo Re (Ativado)”, em que  artistas como Sandy, Emicida, Pabllo Vittar e Criollo, escolheram uma música do já clássico álbum para interpretar.

Lançado em 2003 pela gravadora independente Deck (que na época ainda se chamava Deckdisc), o trabalho alçou Pitty ao alto escalão do pop rock brasileiro e rendeu à artista um disco de platina (250 mil cópias vendidas) e o troféu de Revelação no Prêmio Multishow de Música Brasileira. Daí o motivo de tanta celebração.

A apresentação do disco na íntegra obedeceu a ordem das faixas. ‘Teto de Vidro’, ‘Admirável Chip Novo’, ‘Máscara’ e ‘Equalize’ foram executadas com o peso e eletricidade costumeiros, e acompanhadas com animação pela plateia, sobretudo a quarta, com um coro sobressalente do público feminino – a grande maioria dos presentes, inclusive mostrando que o séquito de fãs da cantora se renova, dado o número de jovens que eram pequenas ou estavam nascendo quando a roqueira estourou.

O problema dos shows comemorativos de aniversário de álbum reside nos momentos em que as músicas menos conhecidas pelo grande público tomam espaço. E quando o tracklist é seguido à risca, isso pode ser uma armadilha, especialmente em uma configuração como ACN em que seis faixas consecutivas não chegaram a ter execução nas rádios. Daí, ‘O Lobo’, ‘Emboscada’ e ‘Do Mesmo Lado’ (que Pitty cantou atrás da cortina transparente que compõe o cenário emoldurando uma tela de LED que exibia grafismos e o logo da tour) foram acompanhadas com certo entusiasmo pelos fãs de primeira hora, aqueles situados mais próximos do palco, todavia os fãs casuais não se empolgaram muito, o que diminuiu um pouco a temperatura. ‘Temporal’, mesmo não tão conhecida teve recepção melhor. Ali foi sentida uma certa falta os instrumentos de corda ao vivo que acompanharam a cantora no The Town. O recurso foi a praticidade do sampler mesmo. Depois de ‘Só de Passagem’ e ‘I Wanna Be’, a última faixa do disco, o hit ‘Semana Que Vem’ voltou a incendiar a pista do Qualistage.

No que ela chamou de segundo ato do show, vieram ‘Seu Mestre Mandou’, do segundo álbum, “Anacrônico”, de 2005, e o cover de Velvet Underground ‘Femme Fatale’ (que tinha Nico nos vocais), tirada do disco “Espelhos”, lançado em junho de 2023.

A farra dos hits foi anunciada como o terceiro ato do show. Foi quando ela enfileirou ‘Setevidas’ (do álbum homônimo de 2014), Memórias (do Anacrônico), na qual ela orquestrou uma roda de pogo no meio do público, e ‘Um Leão’, outra de “Setevidas”, fazendo um respiro na saraivada de sucessos. ‘Na Sua Estante’ foi cantada a plenos pulmões pela plateia, e ao fim recebeu as palmas mais efusivas da noite. “Me arrepiei inteira”, confessou a roqueira, que log em seguida recebeu um “Parabéns Pra Você” antecipado dos fãs, já que dentro de alguns minutos seria seu aniversário (07/10).

‘Me Adora’, que vem há um bom tempo fechando as apresentações de Pitty encerrou a festa, com o já tradicional coro da plateia no refrão, quando a cantora e a banda param e deixam o público se esbaldar bradando os dizeres “Que você me adora/Que me acha foda/Não espere eu ir embora pra perceber”.

Cabia mais algumas? Certamente os fãs, principalmente os que estavam no gargarejo, não reclamariam. No entanto a configuração escolhida é essa mais enxuta (1h40). Ao som de ‘Tiny Dancer’ de Elton John no sistema de som, que sempre encerra os trabalhos dos shows dessa turnê, com Pitty jogando palhetas aos fãs, é inevitável e irresistível constatar, nesse ano de 2023 em que perdemos Rita Lee, que a sucessora está efetivada. O domínio de palco de Pitty é incontestável, a banda afiadíssima, e há muito ela já é o maior referencial feminino no Rock Brasil. A coroa, o manto e o cetro estão bem defendidos.

Fotos de Babi Furtado e Dantas Jr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *