em

“À Beira do Abismo” surpreende com um roteiro bem elaborado

Quando tudo mais parece não ter solução, está na hora de tomar medidas mais drásticas. Essa é a premissa principal do filme À Beira do Abismo.

Nick Cassidy (Sam Worthington), um ex-policial e foragido decide provar sua inocência, colocando sua própria vida em risco ao ficar parado no parapeito do andar mais alto de um hotel em Manhattan. E afirma que só vai negociar uma possível rendição com a Detetive Lydia Mercer (Elizabeth Banks). Ela chega, mas a conversa entre os dois não flui muito bem e nem seus amigos policiais a vêem com bons olhos. Enquanto isso, a ação de fato ocorre perto dali, onde seu irmão Joey (Jamie Bell) e a namorada Angie (Genesis Rodriguez), estão invadindo o prédio do ricaço Englander (Ed Harris) para ajudar a provar a inocência de Nick.

Nem sempre é necessário que um filme tenha efeitos especiais para ser um bom filme de ação. Muitas vezes, um roteiro bem escrito e a direção certa, são a chave ideal. A união do diretor Asger Leth e do roteirista Pablo F. Fenjves resultou nesse ótimo thriller de ação. E mesmo tendo um elenco recheado de bons atores, o foco principal é a história que te deixa no escuro sobre os acontecimentos até pouco mais da metade do filme. Você não sabe se tudo aquilo é verdade. Quem é o mocinho ou o bandido.

A princípio temos dois cenários principais que vão ditar as ações dos demais personagens durante o filme. Qualquer passo em falso de um, pode vir a ruir o outro cenário, o que é sempre uma ótima pedida e só aumenta ainda mais o nível da tensão em quem assiste.

Leth planejou tudo muito bem e teve sucesso nessa empreitada cronológica que é um tanto complicada onde ações em diferentes lugares que ocorrem ao mesmo tempo, influenciam bastante no desenrolar da história.

O elenco consiste em ótimas escolhas como Elizabeth Banks, Ed Harris e Edward Burns. A atuação de Sam Worthington é normal. Não se apresenta como um ator extremamente dedicado aos papéis, ele simplesmente os faz. E nesse caso, o papel não exige um esforço dramático fora do normal, mas ainda assim, lhe falta um pouco de empatia. Sua dobradinha com os demais personagens é o que o salva durante o filme, e claro, o próprio personagem que interpreta.

Se trata de um filme simples, despretensioso, mas que cumpre o que prometeu: ação e suspense.

[xrr rating= 4/5]

Participe com sua opinião!