A Polônia pós-guerra em The Rite of Passage (2010)

43
0

O filme The Rite of Passage (Mała matura 1947) dirigido por Janusz Majewski, é um filme que transporta o espectador para a Cracóvia do pós-guerra, um cenário tão vibrante quanto caótico, onde a história de um jovem se desenrola em meio a eventos históricos significativos. O filme segue Ludwik, um adolescente de quatorze anos, e sua jornada de amadurecimento em um período de grande tumulto político e social na Polônia.

A trama começa com a família de Ludwik mudando-se de Lwow para uma Cracóvia recém-libertada. O ambiente escolar de Ludwik é inicialmente descrito como uma mistura de trivialidades adolescentes, com piadas e flertes juvenis, criando uma sensação de normalidade e inocência que logo será desafiada. Essa aparente tranquilidade é bruscamente interrompida pelo contexto político turbulento da época, especialmente com a visita de Stanislaw Mikolajczyk e o referendo “3XTAK” de 1946.

A narrativa toma um rumo dramático quando Ludwik se envolve em uma briga de rua, resultando em sua prisão. Esse incidente serve como um prelúdio para eventos ainda mais sérios e trágicos. Ludwik testemunha um ataque cometido por dois amigos mais velhos, membros de uma organização clandestina. A subsequente repressão policial leva à morte de um dos meninos, à captura e condenação à morte do outro, e à prisão de vários outros.

Os personagens são habilmente interpretados, com uma profundidade que ressoa com a audiência. Os papéis principais foram interpretados por Adam Wróblewski e Antoni Królikowski; eles são apoiados, entre outros, Marek Kondrat , Sonia Bohosiewicz, Artur Żmijewski, Wojciech Pszoniak, Maria Opania, Olgierd Łukaszewicz e Wiktor Zborowski.

Ludwik, interpretado de forma convincente por Wróblewski, evolui de um jovem despreocupado para alguém profundamente afetado pelos eventos ao seu redor. Essa transformação é o coração do filme, mostrando como circunstâncias extremas podem forçar um adolescente a amadurecer rapidamente. A performance do elenco coadjuvante também merece destaque, especialmente no contexto das interações escolares e familiares que adicionam camadas de autenticidade e empatia à narrativa.

Contexto Histórico e Impacto

Majewski utiliza eventos históricos reais para ancorar a história de Ludwik, oferecendo um vislumbre do impacto do pós-guerra na Polônia. A Cracóvia do filme é retratada com uma autenticidade, desde as ruas movimentadas até as salas de aula vibrantes. A ambientação histórica não é apenas um pano de fundo, mas um personagem ativo que molda os destinos dos personagens.

O incidente envolvendo a organização clandestina e a subsequente repressão é um ponto crucial do filme. Majewski não apenas documenta um fato histórico pouco conhecido, mas também explora suas repercussões pessoais e emocionais nos indivíduos envolvidos. A maturação de Ludwik, forçada por essas experiências traumáticas, é um comentário poderoso sobre a perda da inocência e a dureza da realidade política.

Uma obra cinematográfica que vale a pena assistir, não só pelo talento dos seus atores, mas também pela representação fiel e emotiva de uma Cracóvia pós-guerra. Janusz Majewski oferece uma narrativa multifacetada, onde o amadurecimento de um jovem é entrelaçado com eventos históricos marcantes.

Através de uma combinação de performances impressionantes, um enredo envolvente e uma reconstituição histórica meticulosa, o filme polonês captura a essência de uma época e o espírito de uma geração.

Homenagem Póstuma: Janusz Majewski(1931-2024)

Janusz Majewski está morto, foto: PAP/Leszek SzymańskiUm dos mais famosos, respeitados e populares diretores de cinema poloneses Mestre do cinema de gênero, roteirista, escritor, professor acadêmico, Janusz Majewski morreu aos 10 de janeiro desse ano, aos 92 anos.

Janusz Marian Majewski nasceu em 1931 e passou a infância em Lviv, onde sua família vivia em um prédio de apartamentos administrado por seu pai. Durante a ocupação soviética e, posteriormente, a invasão alemã, Majewski presenciou mudanças significativas na cidade e na atitude das pessoas ao seu redor, como seu zelador que mudava de lado conforme o ocupante. Mais tarde, em 1977, Majewski retornou a Lviv para filmar O Caso Gorgonova e revisitou a casa de sua infância, encontrando o antigo zelador, que ainda guardava memórias da sua família.

Majewski desenvolveu sua paixão pelo cinema ainda criança, ao assistir Branca de Neve (1937) de Walt Disney. Durante a II Guerra Mundial, ele e seu primo criaram um cinema caseiro com materiais improvisados, o que alimentou ainda mais seu interesse pela sétima arte. A literatura também teve um papel importante em sua formação, já que durante a ocupação ele leu diversos livros, incluindo os da biblioteca de sua mãe, o que o introduziu a autores como Anatol France e o conceito de ironia.

A guerra forçou a família de Majewski a deixar Lviv em 1944, e ele concluiu o ensino médio em Cracóvia. Embora seus pais não apoiassem sua escolha de carreira no cinema, Majewski estudou Arquitetura antes de finalmente ingressar na Escola de Cinema de Łódź, onde se formou em 1960. Ele dirigiu vários filmes de sucesso, incluindo “Rondo”, “O Caso Gorgonowa”, e “CK Dezerterzy”, que ganharam prêmios e reconhecimento internacional.

Além de cineasta, Majewski também era um escritor talentoso, cujas obras em prosa foram comparadas a grandes autores como Chekhov e Nabokov. Ele defendia a leitura como uma experiência emocional e criativa, que vai além do simples consumo de informação. Suas produções para o Teatro Televisivo Polonês demonstraram seu domínio das convenções teatrais e sua habilidade em trabalhar com atores.

Majewski continuou a produzir filmes até o final de sua vida, com sua última obra, Black Mercedes, sendo lançada em 2019. Sua carreira abrangeu diversas adaptações literárias e temas históricos, sempre com um olhar crítico e detalhado. Reconhecido como um aristocrata de espírito, ele deixou um legado significativo no cinema e na literatura polonesa, celebrando a memória e a experiência humana através de suas narrativas visuais e escritas. Que descanse em paz

 

Cadorno Teles
WRITTEN BY

Cadorno Teles

Cearense de Amontada, um apaixonado pelo conhecimento, licenciado em Ciências Biológicas e em Física, Historiador de formação, idealizador da Biblioteca Canto do Piririguá. Membro do NALAP e do Conselho Editorial da Kawo Kabiyesile, mestre de RPG em vários sistemas, ler e assiste de tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *