Annabelle 3: De Volta para Casa: para além da mitologia, a derivação! | Filmes | Revista Ambrosia
em ,

Annabelle 3: De Volta para Casa: para além da mitologia, a derivação!

O grande barato dos filmes primeiros da franquia Invocação do Mal e suas entidades, sempre foi a força da mitologia de ser inspirado em acontecimentos verídicos do casal Lorraine e Ed Warren.

Com o justificado sucesso, obviamente que a Indústria ia fazer diluir bastante esses dividendos com continuações. Resultado: não há mitologia que resista. Annabelle 3: De Volta para Casa é um exemplo tácito.

O casal de demonologistas Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga) traz a boneca possuída para a sala de artefatos amaldiçoados em sua casa, colocando-a atrás do cofre de vidro que fora abençoado por um padre. Até que eles precisam sair para investigar um caso e deixam Judy (Mckenna Grace), filha única dos exorcistas, sob os cuidados da babá Mary Ellen (Madison Iseman). A babá tem uma amiga, Daniela (Katie Sarife), que parece fascinada na vida/casa do casal. Dá um jeito de estar com Mary e Judy na casa. Movida por um trauma de família, aproveita a visita entrar no infame quarto de peças amaldiçoadas e lar da maldita boneca. O óbvio acontece.

Annabelle 3: De Volta para Casa: para além da mitologia, a derivação! | Filmes | Revista Ambrosia

A direção é de Gary Dauberman, que supostamente tem muita propriedade sobre o universo, já que é o roteirista de diversos exemplares do gênero, inclusive o surpreendente It, A Coisa.

Apesar do questionável uso excessivo de névoa densa como elemento dramático (artimanha que já era manjada em 1982 quando Michael Jackson lançou o videoclipe de Thriller!), há de se reconhecer que o filme não se rende tanto a sustos fáceis e a direção das jovens atrizes é bem feitinha.

O problema maior está na concepção do filme como um todo. Talvez para dialogar com uma audiência mais teen (ou seja, bilheteria de super herói), a trama adolesceu também. Daí, o que funcionava antes pela tensão mitológica dos fatos, virou apenas mais uma variação dos mesmos sustos e construção dramática já vistas em outros exemplares da própria franquia.

Annabelle 3 isoladamente nem é de todo mal, mas o casal Warren não enfrentou tantos demônios para anos mais tarde, verem seu esforço transformado em versão um tantinho mais dark de Malhação.

Deixe sua opinião

Uma visão diferente do mestre Ricardo Boechat | Literatura | Revista Ambrosia

Uma visão diferente do mestre Ricardo Boechat

Aline Happ, vocalista do Lyria, é uma das idealizadoras do evento

Lyria Fest II representa com 25% de mulheres instrumentistas no palco