Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Duna: Parte 2 transcende e nos envolve nas areias de Arrakis

A primeira parte de Duna, lançada em 2021, foi um ótimo filme, apresentando com cinema atual as lendárias Dunas de Arrakis, que tanto permearam os sonhos dos leitores da obra original. Sem dúvidas o filme também deixou os espectadores querendo mais daquele universo intrigante de regras políticas e mitologias universais, onde tudo é tão familiar e tão estranho ao mesmo tempo.

Duna: Parte 2

Duna: Parte 2 chega não somente para preencher essa lacuna, como avança confiante em sua narrativa e eleva a jornada de Atreides às grandes sagas da sétima arte – colocando também o cineasta Denis Villeneuve numa posição bastante singular na indústria, com muitos já clamando para que o diretor assuma Star Wars.

Voltando para os acontecimentos de Arrakis, Duna: Parte 2 trás seu elenco ainda mais afiado na trama com Timothée Chalamet como um Paul Atreides magnético, transmitindo a dualidade entre a vulnerabilidade de se aventurar numa terra nova e o poder em sua jornada como mêssias de um povo oprimido pela violência externa. Ao lado de Paul, Rebecca Ferguson mais uma vez hipnotiza como Lady Jessica e também Zendaya, que aproveita seu espaço como Chani para criar uma versão memorável da personagem, capaz de balancear o interesse do expectador entre os protagonistas.

Duna: Parte 2

Entre reprises e novas adições, o elenco mais uma vez é todo fantástico. A cinematografia de Greig Fraser, responsável pela fotografia do filme, também merece destaque. Cada cena é uma pintura, com tons quentes e frios dançando na tela em favor da narrativa, que hora viaja com contraste para ressaltar a diferença e situar o espectador na trama.

Denis Villeneuve não apenas entrega cenas de ação grandiosas, como também levanta questões filosóficas sobre idolatria, poder e destino.

Como a obra original, o filme nos faz refletir sobre o papel de classes, a construção de lendas e as consequências de escolhas individuais em um contexto maior na história humana, já que a história de Duna se passa em um futuro bastante distante onde sob muitos aspectos à humanidade regrediu em sua ascensão, como aconteceu da antiguidade para a idade média, ou idade das trevas. Parte de um contexto histórico sem dúvidas explorado por Frank Herbert nos livros.

Duna: Parte 2

O melhor a fazer é preparar a pipoca com a bebida para acompanhar o filme nos cinemas e se deixar ser transportado para Duna.

Duna: Parte 2

Duna: Parte 2
9 10 0 1
Nota: 9/10 Fantástico
Nota: 9/10 Fantástico
9/10
Total Score iFantástico
Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Musical “Makeda – A Rainha da Arábia Feliz” estreia no CCBB Rio

Próxima publicação

Rio2C 2024 anuncia a vinda do criador de Euphoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir