em

“Eu Queria Ter A Sua Vida” e “Missão Madrinha de Casamento”: Crise de identidade?

De repente um nome surge na atual comédia americana e com uma recorrente produção, um par de amigos influentes e o advento da bilheteria, passa a ser considerado grife. Mas será que essa alcunha se justifica? Pelos exemplos recentes, não.

Judd Apatow está por trás da maioria das comédias que inundam os cinemas americanos. Títulos como O Virgem de 40 Anos e Super Bad potencializaram Apatow para o time dos grandes produtores de Hollywood. Confesso que sempre desconfiei dessa badalação excessiva, até porque são filmes de fórmulas. Ainda que vislumbrem uma fórmula mais adulta do gênero, mas ainda assim simples fórmulas. Defeitos reforçados nesses dois filmes em que o produtor está atrelado.

Eu Queria Ter a Sua Vida, do diretor David Dobkin (do também superestimado Penetras Bons de Bico ), já tem um plot surradíssimo: troca de corpos por indivíduos de vidas totalmente inversas. Escrito pelos mesmo roteiristas de Se Beber Não Case, o filme reforça bem os estereótipos de um garotão que não quer crescer (Ryan Reynolds) e vive as desventuras (e aparentes delícias) da eterna vida de solteiro sonhador; e de um pacato executivo e pai de família (Jason Bateman, sempre bom). Os dois, muito amigos, após uma noite de bebedeira, desejam a vida um do outro diante de uma estátua (!!!) e é claro, acordam com as “vidas trocadas”. A comédia não vai além do previsível resvalando numa mesmice total. E numa conclusão risível. Receita pura e simples, como disse.

Missão Madrinha de Casamento também é mais um exemplar de uma receita irregular. E aqui talvez o erro seja imperdoável: a trama, que versa sobre uma crise generalizada entre madrinhas de casamento, poderia até render uma comédia engraçadíssima. Que não é o caso. Protagonizado por uma até interessante Kristen Wiig (do Saturday Night Live) e com a hilária Melissa McCarthy entre as coadjuvantes, o filme torna-se uma sucessão de gags (bem gráficas) de comédia pastelão (até cena de diarreia tem!) e uma busca desesperada pela graça fácil. Aqui, é lamentável o resultado, principalmente pelo potencial que a comédia teria. Receita… de novo.

Ou seja, Judd Apatow é mais um desespero por um nome forte no gênero, do que um efetivo caso de gênio da comédia moderna.

Eu Queria Ter A Sua Vida:
[xrr rating=1/5]

Missão Madrinha de Casamento:
[xrr rating=2/5]

Participe com sua opinião!