em ,

Família Addams 2: Pé na Estrada se apoia no resgate da essência original

Anos depois de muitas especulações sobre como seria a volta da Família Addams aos cinemas, bateu-se o martelo que seria na forma de animação CGI e não um filme live action como nos anos 1990. A ideia da Universal Pictures claramente era pegar carona no sucesso das animações prata da casa como “Meu Malvado Favorito” e “Minions”. Faria todo sentido colocar a família macabra na mesma galeria de Gru e seus comandados.

Depois de “A Família Addams”, de 2019, uma animação até engraçadinha, mas pouco inspirada, que reintroduziu os Addams à cultura pop 26 anos depois do brilhante A Família Addams 2, chega a continuação. Pode se dizer que “Família Addams 2: Pé Na Estrada”, embora não seja genial, ao menos resgata a essência da criação de Charles Addams. E esse é seu trunfo.

Nessa nova trama, encontramos Morticia e Gomez perturbados porque seus filhos estão crescendo, preferindo atividades assustadoras a jantares em família. Para recuperar o vínculo, eles decidem enfiar Wandinha e Feioso, junto com Tio Funéreo para uma viagem de férias familiares.

A similaridade com a parte 2 da versão live action fica ideia de tirar os Addams de seu ambiente doméstico. E também o fato de ser um filme superior ao que o antecede. Enquanto o primeiro longa em CGI buscava dialogar ao máximo com as animações atuais (sobretudo a supracitada estrelada por Gru e seus Minions), buscando conquistar uma nova geração de fãs, essa aqui também o faz, só que recorrendo à fonte.

O novo Família Addams 2, mesmo não se revestindo do brilhantismo da sua contraparte live action, esmera-se em aglutinar a fina ironia macabra das tirinhas originais dos Addams com o humor maroto e feérico das animações modernas. Coube aos roteiristas Dan Hernandez, Benji Samit, Ben Queen, Susanna Fogel encontrar esse eixo, ainda que em alguns momentos descarrilhe. Já os diretores Greg Tiernan (que pilotou o anterior), Conrad Vernon, Laura Brousseau e Kevin Pavlovic buscam abusar dos exageros cartunescos inerente aos Addams, que são permitidos por uma animação.

Para compensar a ausência de atores interpretando os personagens, foi convocado um elenco estelar de dubladores para dar voz à animação. Na versão original Gomez é feito por Oscar Isaac, Morticia é dublada por Charlize Theron, Wandinha tem a voz de Chloë Grace Moretz e o primo It é interpretado por ninguém menos que o gangsta rapper Snoopy Dogg, que, claro, dá uma palinha.

Já no elenco brasileiro é composto pelos competentíssimos Alexandre Moreno (Gomez), Mônica Rossi (Morticia), Bruna Laynes (Wandinha) e Guilherme Briggs (Tio Chico).

Família Addams: Pé na Estrada de fato fica muito aquém das produções mais inspiradas da Pixar e da própria Universal. No entanto é um entretenimento ligeiro e eficaz para a garotada, e os pais que acompanharam os dois longas dos anos 90 (ou mesmo os avós que leram as tirinhas de Charles Addams) podem dar algumas risadas. No fim das contas, assim como a viagem dos Addams, trata-se de um programa de família.

Nota: Bom – 3 de 5 estrelas

Família Addams 2: Pé na Estrada se apoia no resgate da essência original
3 / 5 Crítico
Avaliação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *