em ,

A Fera – Mais um conto de fadas moderno…

Contos de fada são histórias que servem para ensinar lições de moral as crianças de um  jeito simples para que elas consigam entender. Grande parte da magia da história está na imaginação e/ou principalmente no fato de ser faz-de-conta. Trazer essas histórias para o cotidiano acaba pouco a pouco com a magia da história.
E foi exatamente isso que o diretor Daniel Barnz fez com A Fera (Beastly).

Kyle (Alex Pettyfer) é um jovem popular sem papas na língua. Ela usa da beleza para conseguir tudo o que quer, ensinamento que aprendeu com seu pai. Com isso sem ter nenhum tipo de preparo, ou se importar, ele se torna Presidente do Clube de Meio Ambiente.

Logo Kendra (Mary-Kate Olsen) começa a questionar seu status social e o motivo dele ser realmente rodeado de amigos. Kyle não gosta muito da brincadeira e arma uma para se vingar. No baile, Kyle humilha Kendra na frente de todos, ela então revela ser uma bruxa e joga uma maldição em Kyle. Que sua aparência irá refletir como ele é por dentro.

Ao acordar, Kyle parece um monstro. Está careca, com muitas cicatrizes e o corpo coberto de tatuagens. Ele busca a ajuda do pai que prefere não lidar com a aparência do filho e o isola numa casa do outro lado de Manhattan apenas com sua empregada Zola e seu tutor Will (Neil Patrick Harris). Revoltado Kyle procura por Kendra, que lhe diz que o único jeito de se ver livre da maldição é encontrar alguém que o ame de verdade. Não por sua beleza, mas como ele é realmente.

Desolado, Kyle se tranca em casa até o dia em que encontra por acaso Lindy (Vanessa Hudgens) e começa a pensar que talvez consiga se livrar da maldição.

Baseado no livro homônimo de Alex Flinn, a tentativa de adaptação de um conto tão bonito cai por terra. Não li o livro, então não tenho como dizer se ambos sofrem do mesmo mal. Talvez a narrativa do livro seja diferente.

De qualquer forma o roteiro todo ficou muito superficial e parece até correr em alguns momentos. Hudgens e Pettyfer não possuem uma química muito boa, logo não convencem como casal. Mas ambos funcionam bem com outros personagens do filme o que é estranho. Verdade seja dita, a maquiagem ficou muito boa, se foi computação gráfica ou não, não dá para saber.

No mais não acrescenta nada que já não tenha sido feito antes como A Nova Cinderela por exemplo. Alice de Tim Burton, não se aplica a equação pois o filme se manteve a história original sem mudar o tempo. Existe ainda outros quatro filmes baseados no mesmo conto em anos distintos, o primeiro datando de 1946.

Aliás um ótimo filme baseado em contos de fada é Para Sempre Cinderela com a Drew Barrymore. Conto de fadas este com maior número de adaptações, chegando a mais de 20 filmes. Recentemente também tivemos A Garota da Capa Vermelha, inspirado na famosa história da Chapeuzinho Vermelho. Algumas adaptações preferem ser fiéis ao conto original, outras acham melhor modernizar logo tudo. Fica a critério de cada um decidir qual acha ser a melhor, antigo ou moderno.

O filme tem estréia prevista para 8 de Julho.

[xrr rating= 1.5/5]

 

Participe com sua opinião!