Festival do Rio: A Vida Acima de Tudo

6
0

Baseado no romance Chanda`s Secrets, de Allan Straton, A Vida Acima de Tudo conta a história da menina Chanda (Khomotso Manyaka), que acaba de perder a irmã recém-nascida. Seu padastro bêbado acusa Lillian (Lerato Mvelase), a mãe das meninas, de ter envenenado o bebê com seu leite, e a epidemia da AIDS na África do Sul cria um clima de perseguição e terror sobre tudo que envolve a doença.

Lillian fica cada vez mais debilitada, e sua vizinha, Sra. Tafa (Harriet Manamela), tenta ajudar com as crianças e evitar os rumores da vizinhança. Quando ela faz Lillian voltar para sua cidade natal, onde poderia se curar do feitiço jogado sobre ela, Chanda desconfia da verdadeira motivação de Tafa, e vai em busca da mãe.

O filme de Oliver Schmitz é extremamente emocionante. Mostra como a moral conservadora da África impede que as pessoas lidem com seus problemas, acessem informações e até mesmo tratamento. Fala do preconceito e de como ele piora as coisas por deixar as pessoas sem escolha. Denuncia que ainda hoje, quase 30 anos depois do furor do surgimento da AIDS, alguns lugares do mundo ainda olham a doença, e os doentes, da pior maneira possível.

Chanda é uma heroína épica. Estudiosa, a menina se recusa a fechar os olhos à gravidade de seus problemas e abaixar a cabeça para o julgamento alheio. Aconselhada a se afastar da espevitada amiga Esther (Keaobaka Makanyane, ótima), termina comprando briga e sendo a única mão estendida para ela, quando os caminhos de Esther quase a levam à morte. Percebendo que o exílio da mãe talvez seja uma despedida, vai ao encontro dela e em busca de médicos, coloca a mãe dentro de casa e se coloca entre ela e os olhares (e algumas pedras) dos vizinhos.

O grande momento da Sra. Tafa é quando ela se coloca ao lado de Chanda e ameaça os vizinhos, lembrando-os que sabe o que se passa em suas casas. Ali, num lugar onde a opinião dos outros é o valor maior, todos tem algo a esconder. A dor de Chanda e sua família tocam a todos, porque é impossível para eles não se relacionarem com ela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *