em

Festival do Rio: Ander

É incrível como os homens tem medo deles mesmos!

Festival do Rio: Ander | Filmes | Revista Ambrosia

Ander é um homem de meia idade que vive numa fazenda do interior da Espanha com a mãe conservadora e a irmã que está noiva. Sua vida é o trabalho e a única diversão é sair com a prostituta Reme e beber com os amigos. Um acidente faz com que ele quebre a perna, e seu cunhado traz José, um imigrante peruano, para ajudar no serviço até que Ander se recupere. A simples presença de José anima Ander, preso à monotonia da fazenda. A amizade entre os dois cresce, e culmina numa transa rápida que deixa Ander em desespero. A morte súbita da mãe só piora as coisas, agora que a irmã se casou e ele não tem mais ninguém, a não ser José, a quem evita tentando fugir de si mesmo. É Reme quem o confronta, perguntando o que ele terá depois que a perna estiver curada e José tiver que ir embora…

Ander é um filme sensível, que fala de um lado pouco associado à vida gay. Ander simplesmente não sabia o que era ser gay, é algo que não conhecia, e é interessante ver a homossexualidade por si só, sem os estereótipos dos corpinhos sarados e as roupas de grife. O ambiente rural é propício para as indagações sobre a construção da masculinidade e suas implicações na cabeça dos homens, e não é um cenário muito explorado no filão (apesar do sucesso de Brokeback Mountain). A ótima performance dos atores também ajuda, resultando num filme agradável, e que dá o que pensar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Um comentário

#Lançamento'22 Circuito Ambrosia