em ,

Fracassos de “Se Puder… Dirija” e “Casa da Mãe Joana 2” apontam para o declínio da Comédia rasteira

Definitivamente, o Cinema Brasileiro, na ânsia por garantir seu milhão na bilheteria, desaprendeu a fazer Comédia. E o que é pior, faz da mediocridade uma vertente a cada novo lançamento. Mas um sintoma bem interessante desse vacilo é que a essa mesma bilheteria não anda mais correspondendo às expectativas nessa aritmética de filme feito nas coxas resultando em milhões de reais. Tanto “Se Puder… Dirija”, quanto “Casa da Mãe Joana 2″, assim como o recente “Odeio Dia dos Namorados” renderam bem menos que o esperado e a pedestre “indústria do gênero” já começa e se preocupar com sua até então galinha dos ovos de ouro.

Se Puder… Dirija, comédia de Paulo Fontenelle, ainda vem com a pecha de “primeiro filme em 3D do Brasil”, utilizando as mesmas câmeras da superprodução O Espetacular Homem Aranha. O resultado? Um filme sem finalidades. Não há qualquer ranço de comédia (Luiz Fernando Guimarães está cansado e enfadado durante toda a projeção) e o uso da tecnologia 3D é tão inexplicável quanto inexpressivo. Em determinado momento do filme, o personagem de Luís reclama de um palhaço animador de festa infantil: “Chato pra caramba!”. Taí, a melhor graça involuntária do filme: o protagonista estava falando do próprio filme que atua. Saudades violentas de Grande Otelo e Oscarito

sepuderdirija_6-650x400

Casa da Mãe Joana 2 é a continuação inexplicável do filme de 2008, representa uma outra vertente ruim do gênero Brasil: o humor caduco e ultrapassado de, nesse caso, Hugo Carvana. Seus filmes, como no fraquíssimo recente Não se Preocupe Nada Vai Dar Certo, sempre carecem de lógica do roteiro que se ancoram numa certa espontaneidade da típica malandragem cultural. Quer coisa mais velha e batida que essa vertente? A comédia é totalmente desprovida de qualquer linha narrativa sólida ou graça legítima. Tudo cheira a naftalina e camaradagem, principalmente entre o (bom) elenco, um tanto perdido.

A grande massa absorve bobagens, mas não tem nada de boba. E até a compreensão do mercado da oferta de cinema para seu entretenimento está se apurando. Isso é resultado de uma banalidade excessiva, como aconteceu com os outrora valiosos (do ponto de vista de bilheteria!) filmes da Xuxa, os prolíferos e questionáveis “Favela Movies”, dentre outras “especulações cinematográficas”. A Comédia que não encontre o seu prumo para ver como o bilheteria mira de novo para velha conhecida e vastíssima oferta ianque…

Se Puder… Dirija! [xrr rating=1.5/5]

Casa da Mãe Joana 2 [xrr rating=1/5]

Deixe sua opinião

Publicado por Renan de Andrade

How I Met Walter White

Em “Aposta Máxima”, tem que saber blefar ou a casa leva tudo