Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Longa-metragem nacional ‘Coexistência’ começa filmagens

As cidades gaúchas de São José dos Ausentes e Porto Alegre servem de cenário para o longa em produção “Coexistência”. Estreia na direção de Thiago Wodarski, o drama familiar com elementos fantásticos é uma realização da Machina Filmes e Sofá Verde Filmes. Estão no elenco Maria Galant (“Irmã”), Martha Brito (“Disforia”), Thiago Lacerda (“O Tempo e o Vento”) e Juliana Wolkmer (“Legalidade”) e as estreantes Helena Vaz e Julia Almeida. “Coexistência” conta a história de duas irmãs que retornam depois de anos para a casa onde cresceram. A morte da mãe as faz reviver velhos traumas. As gravações acontecem em fevereiro.

“Eu considero ‘Coexistência’ um filme sobre revisitar memórias, em sua essência. Acho que a memória é talvez a ferramenta humana mais traiçoeira”, elabora Thiago Wodarski, conhecido por sua experiência como roteirista da série “A Bênção” (Canal Brasil) e do longa “Disforia”. “Há algo muito pesado que aconteceu naquela casa e as duas irmãs claramente enxergaram este fato de forma diferente. Enquanto para uma aquilo foi um lar, com lembranças até lúdicas dos momentos, a outra enxerga vê como um período absolutamente sombrio”, resume.

O diretor e roteirista define “Coexistência” como um drama de fantasia que começa a ganhar contornos de thriller no desenrolar da trama. Wodarski divide a produção com Lucas Cassales, Rafael Duarte e Taísa Ennes. Duarte e Taísa também assinam direção de fotografia e arte, respectivamente. Fernanda Bischoff e Patrick Arozi são os produtores executivos do projeto. As filmagens seguem uma série de protocolos de segurança relacionados à pandemia. O cronograma iniciou no interior do estado, em uma fazenda de São José dos Ausentes, e agora prossegue na capital gaúcha.

O ator carioca Thiago Lacerda interpreta o médico Fernando, personagem religioso que aos poucos vai mostrando suas reais intenções. Ele define o roteiro como corajoso e seu personagem como misterioso e complexo. Sobre a produção do longa-metragem, descreve: “um grupo de jovens inquietos que se reúnem pela causa nobre do cinema e pela necessidade de resistir, em cena, ao horror do descrédito e sabotagem cultural que nos cerca atualmente”.

Na foto: Juliana Wolkmer, Julia Almeida, Helena Vaz, e o diretor Thiago Wodarski – Crédito: Mariana Villa Real

Sobre a Machina Filmes

Fundada em 2014, produz seus próprios filmes e se especializou na montagem e finalização audiovisual, com ênfase em efeitos especiais. Na área da pós-produção, conta com duas séries finalizadas no catálogo da Netflix (“Necrópolis” e “Alce&Alice”) além de ter atuado na finalização de longas-metragens como “Contos do Amanhã”, “A Cabeça de Gumercindo Saraiva”, “Despedida”, “Os Bravos Nunca Se Calam”, “Irmã” e da série para o History Channel “De Carona com os Ovnis”.

 

Sobre a Sofá Verde Filmes

Criada em 2010, coproduziu os longas “Disforia” (2019), de Lucas Cassales e “Eles Vieram e Roubaram sua Alma” (2016), de Daniel De Bem, premiado no festival Olhar de Cinema. Produziu dez curtas-metragens, entre eles “O Corpo” (2015), de Lucas Cassales, ganhador do Kikito de melhor filme no Festival de Gramado, “Trique-Trique” (RBS-TV, 2013), de Vicente Schereder, e “Pele de Concreto” (2014), de Daniel de Bem. A Sofá também produz o Festival Diálogo de Cinema em Porto Alegre, com quatro edições.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Saudade dos arcades “papa fichas”? Death Ray Manta SE

Próxima publicação

Jovem talento da MPB, Pedro Cini faz show grátis no Paraná

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir