em ,

"Lou" tem boas ideias, mas derrapa em alguns equívocos

O filme “Lou” trata dos anos de formação intelectual Lou Andreas Salomé (vivida por Katharina Lorenz na fase adulta), que desenvolveu uma relação amorosa platônica com Friedrich Nietzsche (Alexander Acheer), e acabou se tornando uma das organizadoras dos escritos do filósofo. Ela passa por uma parte da sua vida adulta sem ter quaisquer relações de foro íntimo. Essa escolha – que torna certa parte da trama um pouco enfadonha – faz sentido quando esclarecido o que aconteceu com a protagonista quando mais nova.
Estruturalmente, o longa se divide em três fases temporais: a infância de Lou, em que somos apresentados à sua relação complicada com a mãe, que queria uma moça de sociedade e bons costumes, além da iniciação nos estudo e seu fascínio pelos livros. A fase adulta, na qual vemos os seus encontros com filósofos e intelectuais do início do século XX e como sua relação com os homens se torna um problema recorrente para a personagem. E por fim, já na terceira idade, quando se encontra em uma Viena ocupada pelos Nazistas, sendo ela uma intelectual de origem judia e que se torna um dos expoentes da psicanálise de Freud, de quem se tornou uma discípula fervorosa.

A produção apresenta algumas ideias interessantes, mas que na execução acabam deixando muito a desejar. Um exemplo é a utilização de fotografias de época, que deveria marcar a passagem ou de tempo ou de lugar, e nessa imagem estática, são inseridos movimentos criando uma animação. Infelizmente, algo que seria uma bela ideia, acaba se prejudicando por uma execução pobre desse movimento.
Os bons momentos do longa acabam empalidecidos pela negligência de episódios que poderiam ser melhor explorados, principalmente sua relação com Freud (assunto no qual quase não se toca). A participação de Nietzsche também poderia ganhar mais tempo em tela.
Filme: Lou (Lou Andreas-Salomé)
Direção: Cordula Kablitz-Post
Elenco: Katharina Lorenz, Nicole Heester, Liv Lisa Fries
Gênero: Drama Histórico/Biografia
País: Alemanha/Suiça
Ano de produção: 2017
Distribuidora: Cinearte Filmes
Duração: 1h 53 min
Classificação: 16 anos

Deixe sua opinião

Confira os vencedores do SAG Awards 2018

“Mulher Maravilha 2” se torna a primeira produção a adotar diretrizes contra assédio sexual