em

Novo “Duro de Matar” é ordinário, mas é diversão garantida também!

Bruce Willis anda querendo mesmo é se divertir. Se isso se confundir com diversão, melhor ainda. Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer é bem isso e mais ainda, sabe dessa condição. Com esse paradigma, vira uma superprodução barulhenta, inacreditável, mas divertida e digerível.

a-good-day-to-die-hard

Na trama, John McClane (Bruce), já chamado de vovô por colegas de polícia, vai para a Rússia salvar a pele do filho Jake (Jai Courtney), com quem não fala há anos. Preso, o rapaz foge, ao lado de um prisioneiro político, após um ataque terrorista ao tribunal. Seu pai o encontra durante a fuga, a animosidade entre os dois complica tudo, porém logo percebem que terão que trabalhar juntos. A partir daí, a dupla quebra tudo para impedir uma nova ameaça aos EUA, sem preocupação com propriedades e vidas alheias.

A Good Day To Die Hard 04

O roteiro – evidentemente – tem furos e situações inexplicáveis. Até o fato de ser ambientado na Rússia não tem grandes justificativas que valham. A grande virada também é um tanto cretina, assim como a construção dramática do vilão (aliás, todos bem caricatos). Entretanto, acabo sempre admirando produções que encontram alguma dignidade ao assumirem sua função como entretenimento puro e simples.

Esse Duro de Matar não dá ponto sem nó nos absurdos das sequências de ação  e ainda na onipotência de seus heróis (até porque o filho de McClane também é incrível nas habilidades contra o crime (!)). Com diálogos hilários e até bem acima da média, o filme acaba sendo uma boa pedida para se divertir com a exigência intelectual com que se joga um Play Station 3…

[xrr rating=3/5]

Participe com sua opinião!

Ativista

Publicado por Renan de Andrade

VerificadoEscritorPromotor(a)CinéfiloMusicólogoFanáticos por SériesSuper-fãs

“Perversos, amantes e outros trágicos” lançamento da Iluminuras

“Colegas” peca por subestimar seu próprio potencial