O Predador: A Caçada, prequel traz retorno ao clássico com muita ação e suspense

41
1

35 anos se passaram desde a estreia de O Predador, um dos filmes mais míticos dos anos 1980 que misturou ação e ficção científica de forma excelente. Seu sucesso levou a uma franquia , mas a verdade é que nenhuma sequência ou variante chegou perto do nível exibido pelo filme dirigido por John McTiernan (1951) com um Arnold Schwarzenegger (1947) no auge físico.

Sendo tão recente a tentativa anterior – O Predador (2018) de Shane Black – que não alcançou o sucesso esperado de bilheteria, foi surpreendente a 20th Century Studios lançasse tão rapidamente um novo filme da saga. E em uma volta no tempo, já que O Predador: A Caçada (Prey) se passa em 1719 para mostrar um confronto de uma jovem guerreira da Nação Comanche contra uma dessas criaturas sádicas.

Mas não saiu nos cinemas, foi direto no streaming Star Plus. Nem mesmo os elogios que recebeu durante a última Comic-Con serviram para causar uma mudança de planos, algo lógico se levarmos em conta as razões apresentadas pelo diretor Dan Trachtenberg (1981), sobre seu lançamento direto nas plataformas. No entanto, o que mais importa para nós é que este é um filme selvagem, primitivo e visceral que sabe integrar perfeitamente o fato de seu protagonista ser uma jovem guerreira muito habilidosa, mas constantemente subestimada.

Uma coisa a ser clara é que o roteiro de Patrick Aison é um pouco lento quando se trata do momento em que o Predador vem à tona. O filme foca mais em apresentar Naru, a jovem comanche, interpretada de forma muito convincente por Amber Midthunder, e qual é o seu papel dentro do povo ao qual pertence.

Essa base é essencial para dar ao longa uma identidade própria, já que o salto no tempo também está associado a uma tecnologia menor por parte da criatura, que não demora muito para ser notada pelas vítimas que vai deixando em seu rastro. É aí que se introduz um fator desestabilizador que causa estranheza na protagonista, que é a única que parece perceber que algo estranho está acontecendo.

Tudo isso inicialmente leva o filme a não deslanchar, mas é a base vital para que o que vem depois não acabe sendo mais um na saga. Este trabalho de ambientação é essencial para mergulharmos totalmente no que poderia ser perfeitamente a primeira visita de um desses seres ao nosso planeta. Assim, a princípio se concentra em identificar possíveis ameaças para marcá-los como suas presas.

A luta pela sobrevivência

Dito isso, o filme realmente brilha quando aquele fator de luta pela sobrevivência tão característico da franquia vem à tona, tanto pelas cenas de ação, nas quais a direção faz um trabalho de edição notável, bem como o manejo habilidoso do suspense para que não seja uma simples carnificina.

Além disso, a narrativa gira em torno de seu confronto com Naru e ambienta para fazer todo o sentido. O trabalho visual da direção vai além do uso do sangue, mas também do cenário onde a história se passa também é importante, desde o uso do nevoeiro até aquele sentimento necessário de isolamento que prevalece em todos os momentos.

Além disso, talvez alguns faltem personagens mais importantes -há apenas um, o irmão da protagonista-, mas o que o filme propõe também não precisa disso. O Predador: A Caçada é a história de Naru e como ela provará seu valor contra o predador mais mortal.

O Predador: A Caçada

O Predador: A Caçada
9 10 0 1
Nota: Excelente - 8.5/10
Nota: Excelente - 8.5/10
9/10
Total Score iExcelente
Cadorno Teles
WRITTEN BY

Cadorno Teles

Cearense de Amontada, um apaixonado pelo conhecimento, licenciado em Ciências Biológicas e em Física, Historiador de formação, idealizador da Biblioteca Canto do Piririguá. Membro do NALAP e do Conselho Editorial da Kawo Kabiyesile, mestre de RPG em vários sistemas, ler e assiste de tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *