em ,

“Transcendendo Lynch”: simplesmente interessante

Estávamos em 2008. Era a primeira vez que David Lynch atravessava a Linha do Equador e se deparava com o lado sul do hemisfério terrestre. O cineasta de estilo especial, exótico, inconfundível e intrigante percorria capitais do Brasil fazendo palestras, respondendo perguntas e não respondendo outras, como as que tratavam sobre seus filmes. Afinal, o intuito da célebre visita era divulgar a Meditação Transcendental e lançar seu livro sobre o assunto, “Em Águas Profundas”, e não desvendar os misteriosos elementos presentes em filmes como “Eraserhead”, “O Homem Elefante”, “Veludo Azul” ou o mais recente deles, “O Império dos Sonhos”. Lynch estava acompanhado por Robert Rooth, o vice presidente de David Lynch Foundation, e pelo cantor britânico Donovan, famoso nos anos 60/70.

O resultado desta presença tão ilustre em terras tupiniquins foi um documentário dirigido por um jovem brasileiro, Marcos Andrade, de 30 anos, que acompanhou Lynch em suas passagens por Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. “Transcendendo Lynch”, o nome do documentário que estará em cartaz nos cinemas a partir do dia 20 de maio, contou com investimentos do próprio bolso do diretor – e a aposta pode valer a pena. As filmagens foram feitas com o punho do câmera man Pablo Baião, do jeito mais simples possível. Desde a concepção até a arte final, aos olhos de uma espectadora que pouco sabe sobre questões técnicas da produção cinematográfica (eu), parecem pouco elaboradas deste ponto de vista. Mas são completamente satisfatórias e dão o tom de simplicidade fundamental à arte, como um simples backward em uma das cenas produzindo um efeito muito interessante no contexto.

Além de partes das palestras do diretor pelas capitais brasileiras, “Transcendendo Lynch” mistura depoimentos de fãs que estavam na fila quilométrica formada na tarde de autógrafos em uma livraria em São Paulo. Lynch parecia mesmo um astro! Emocionados, seus fãs diziam que a graça artística de seus filmes é, justamente, não entender nada. Os filmes transcendem qualquer forma de entendimento e se tornam uma experiência a ser vivida. Trata-se de trazer à tona o desconhecido. Será que não eram apenas desculpas dos que nada captaram?

Bem, acontece que a tarefa de explicar Lynch é mesmo bem difícil. O próprio documentário de Andrade é mais didático que este artigo. Lynch é didático. Todas as suas explicações, tanto acerca da Meditação Transcendental quanto de seus filmes, são feitas por meio de metáforas e analogias. Este seu jeitinho lynchiano, combinado com sua simpatia e calma, o transformam em uma pessoa comum, acessível, próxima.

Usemos, então, suas próprias metáforas como o caminho para buscar explicações: Lynch é um pescador de ideias que não se contenta com os peixes da superfície e busca trazer os peixes que vivem nas profundezas do oceano à luz. Ele é apaixonado pelo que faz e garante que um artista não precisa sofrer para produzir obras excepcionais. E explica dizendo que não há como produzir algo quando se está com uma dor de cabeça tão forte que provoca até náuseas. Parece fazer sentido, não é mesmo?

Acredite, Lynch pode ser bastante simples de compreender. E o documentário consegue mostrar este homem ordinário, com êxito. Quando respondia algo a respeito de sua maneira de produzir filmes, sempre dizia que qualquer explicação, qualquer entendimento que se faça é perfeitamente satisfatório para ele.

Ao falar da Meditação Transcendental, justifica-se de onde Lynch tira ideias geniais para suas obras, que não se resumem à sétima arte. Ele também pinta e canta blues. Há 35 anos, medita duas vezes ao dia, todos os dias! Através da meditação diária, é possível atingir um nível de consciência de felicidade, inteligência, bênção infinitas.

E, naquela semana de 2008, ele não era um completo estranho neste país tropical. Em Belo Horizonte, 2 mil crianças do projeto Cidade dos Meninos se juntaram em um ginásio para meditarem junto com o astro. Para Lynch, foi um dos momentos mais incríveis no Brasil.

As palestras do cineasta pelo Brasil, os sorrisos de seus fãs enlouquecidos, depoimentos pessoais do astro feitos com um pano de fundo bastante presente em seus filmes (a cortina vermelha), a meditação na Cidade dos Meninos. Todos estes momentos vão e vem durante o documentário. Transcender Lynch é o verdadeiro mérito da produção cinematográfica de Andrade. Propositalmente ou não, o documentário é metalinguístico porque ressalta a simplicidade e a alegria de um homem comum chamado Lynch de forma… simples!

A David Lynch Foundation pretende fazer um documentário sobre a divulgação da Meditação Transcendental que Lynch em pessoa vem realizando em vários países. Para ele, esta é a única forma de trazer paz e amor ao nosso mundo. Martin Scorsese e Clint Eastwood assinam embaixo.

[xrr rating=3/5]

Título: Transcendendo Lynch

Direção: Marcos Andrade

Duração: 83 min

Lançamento: 20 de maio

alguém opinou!

Deixe sua opinião!
  1. ah david lynch que pena que voce pirou de vez e deixou os simples mortais sem suas delirantes cronicas surrealistas acerca desse imenso universo que é o cerebro eternamente preso nesta limitada esfera de osso e cabos sinapticos ,lynch assim como cronenberg sabe onde guardamos nossos demonios ,cronenberg optou por uma narrativa mais linear e convencional em seus ultimos filmes ,ja nosso heroi provou que sabe muito de convencional ,mas não tem interesse ,ele só quer desvendar os sonhos para si e mostrar alguns pedaços dessa descoberta para os simples mortais mas da forma que ele entende ,dai voce entender é outra conversa ,coração selvagen é ainda hoje uma das mais belas e sujas historias de amor ,não o amor do par central e sim todo o universo torpe e delirante a sua volta tendo seu apice na figura grotesca de bob peru e seus feromonios feito de alcool ,sangue e perversões sexuais ,ou seja lynch é o cara.

Participe com sua opinião!

Aprendiz

Publicado por FlordaSerra

Preview de Cinema: Horrible Bosses

Fortuna Crítica: Wilson, de Daniel Clowes