Zé do Caixão leva vários prêmios no Festival de Paulínia

Zé do Caixão leva vários prêmios no Festival de Paulínia – Ambrosia

Encarnação do demônio, longa que marcou o retorno em grande estilo do ícone Zé do Caixão, levou quase todos os prêmios em destaque do Primeiro Festival de Paulínia e agradou bastante o público, no total a produção arrebatou os prêmios de Melhor filme de ficção, Fotografia, Montagem, Edição de som, Direção de arte, Trilha sonora e Melhor longa-metragem pela crítica.
Para quem não sabe, Encarnação do demônio é o terceiro volume da iniciada em 1963 com À Meia-noite Levarei sua Alma, seguido do não menos espetacular Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver (1966). José Mojica Marins, o criador do personagem esteve na premiação e declarou que sua última produção não deixa nada a dever para jogos mortais ou outras produções do gênero, inclusive vale lembrar que o escritor/diretor/ator é conhecido internacionalmente e que suas produções são mais conhecidas lá fora, um mal que aflige a maioria dos artistas brasileiros de todos os gêneros.
De qualquer modo, fique abaixo com a lista completa de prêmios do festival, inclusive ao lado o valor pago para cada categoria 😀
Melhor Filme (R$ 60 mil):
“Encarnação do demônio”, de José Mojica Marins
Prêmio Especial do Júri (R$ 30 mil):
Walter Lima Júnior, diretor de “Os desafinados”
Melhor Diretor (R$ 30 mil):
Selton Mello, por “Feliz Natal”
Melhor Ator (R$ 25 mil):
Paulo José, por “Pequenas histórias”
Melhor Atriz (R$ 25 mil):
Claudia Abreu, por “Os desafinados”
Melhor Ator Coadjuvante (R$ 15 mil):
Ângelo Paes Leme, por “Os desafinados”
Melhor Atriz Coadjuvante (R$ 15 mil):
Darlene Gloria e Graziella Moretto, por “Feliz Natal”
Melhor Roteiro (R$ 15 mil):
Helvécio Ratton, por “Pequenas histórias”
Melhor Fotografia (R$ 15 mil):
José Roberto Eliezer, por “Encarnação do demônio”
Melhor Montagem (R$ 15 mil):
Paulo Sacramento, por “Encarnação do demônio”
Melhor Edição de Som (R$ 15 mil):
Ricardo Reis, por “Encarnação do demônio”
Melhor Direção de Arte (R$ 15 mil):
Cássio Amarante, por “Encarnação do demônio”
Melhor Trilha Sonora (R$ 15 mil):
André Abujamra e Marcio Nigro, por “Encarnação do demônio”
Melhor Figurino (R$ 15 mil):
Fabio Namatame, por “Onde andará Dulce Veiga?”
Melhor Documentário (R$ 30 mil):
“Simonal – Ninguém sabe o duro que dei”, de Cláudio Manoel, Calvito Leal e Michael Langer
Prêmios Especiais – Documentários (R$ 20 mil):
“Iluminados”, de Cristina Leal
“Castelar e Nelson Dantas no país dos generais”, de Carlos Alberto Prates Correia
Menção Especial:
Fabrício Reis por sua atuação em “Feliz Natal”, de Selton Mello

– Prêmio da crítica –

Melhor Longa-Metragem:
“Encarnação do demônio”, de José Mojica Marins
Melhor Curta-Metragem:
“Dossiê Re Bordosa”, de Cesar Cabral

– Curtas nacionais (júri oficial) –

Melhor Filme (R$ 20 mil):
“Dossiê Rebordosa”, de Cesar Cabral
Premio Especial do Júri:
“Vida Maria”, de Marcio Ramos
Melhor Diretor (R$ 15 mil):
Daniel Ribeiro, por “Café com Leite”
Melhor Ator (R$ 8 mil):
Eduardo Melo, por “Café com Leite”
Melhor Atriz (R$ 8 mil):
Ana Carolina Lima e Renata Torralba Horta, por “Espalhadas pelo ar”
Melhor Roteiro (R$ 8 mil):
Márcio Ramos, por “Vida Maria”
Melhor Fotografia (R$ 8 mil):
Rômulo Errico, por “OD – Overdose Digital“
Melhor Montagem (R$ 8 mil):
André de Campos Mello, por “OD -Overdose Digital”
Menção Honrosa:
“Elke”, de Julia Rezende

– Curtas regionais (júri oficial) –

Melhor Filme de Curta-Metragem Regional (R$ 20 mil):
“A vaca”, de Marcelo Reginaldo de Menezes
Melhor Diretor (R$ 15 mil):
Marcelo Reginaldo de Menezes por “A vaca”
Melhor Ator (R$ 8 mil):
Dirceu Carvalho e Jose Ricardo Nogueira, ambos pelo filme “Luchador”
Melhor Roteiro (R$ 8 mil):
Marcelo Reginaldo de Menezes por “A vaca”
Melhor Fotografia (R$ 8 mil):
Marcelo Mazzariol por “Luchador”
Melhor Montagem (R$ 8 mil):
Marcelo Mazzariol e Juliano Luccas por “Luchador”

– Prêmios do júri popular –

Melhor Filme de Ficção (R$ 30 mil):
“Alucinados”, de Roberto Santucci
Melhor Documentário (R$ 20 mil):
“Simonal, ninguém sabe o duro que dei”, de Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal
Melhor Curta Nacional (R$ 15 mil):
“Dossiê Rê Bordosa”, de César Cabral, e “Vida Maria”, de Marcio Ramos
Melhor Curta Regional (R$ 15 mil):
“A vaca”, de Marcelo Reginaldo de Menezes
Fonte G1

Total
0
Links
Comentários 1
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ant
Olhares & Observações: o Jogador, o Personagem e o Roleplay

Olhares & Observações: o Jogador, o Personagem e o Roleplay

Gostaria de inaugurar uma nova coluna de artigos aqui no Ambrosia, a qual

Prox
Sony perde a Exclusividade de Final Fantasy!!

Sony perde a Exclusividade de Final Fantasy!!

Talvez a maior surpresa que pôde ser vista nesta última E3 ocorreu na

Sugestões para você: