em

Vandal Hearts: Flames of Judgement para Playstation 3

Tobias Martin deu o azar de nascer em épocas tempestuosas, na tumultuada e cobiçada terra de Sostegaria.

Nosso aspirante a mártir, Tobias, e sua já mencionada falta de sorte, manifestara fortes poderes além do comum, clareando definitivamente e por completo sua inevitável sina. Com sua terra sendo dominada pouco a pouco por comportamentos e ações dúbias de governantes mal intencionados, a ameaça e o odor da guerra fresca pairam no ar.

Após recrutar os amigos dispostos, sem nada a perder e confiantes o suficiente pra encara uma jornada de vida ou morte. A ideia é conseguir salvar sua casa e o resto do mundo dos potencialmente grandes e poderosos vilões responsáveis pela famosa mania de querer se apoderar do reino próspero dos outros.

VHFOJ (2)

Botar seus amigos em risco é o de menos em: Vandal Hearts Flames of Judgement.

Timidamente publicado pela Konami em janeiro de 2010, essa versão da franquia segue o tradicional e erudito RPG estratégico e tático das duas primeiras versões para PS One.

Flames of Judgement, sem nenhuma surpresa, se passa antes, porem, no mesmo lugar da peleja travada por Ash e sua patota, na primeira versão. Toda historia é criteriosamente amarrada. Em contrapartida, não da pra falar o mesmo sobre a dinâmica em jogo. Uma inovadora “fila” na parte superior da tela, indica de quem será a vez no próximo turno, uma modernidade e tanto se tratando de Vandal Hearts.

Felizmente, sem aquela chorumela de que qualquer personagem pode ser e usar o que quiser. Vandal Hearts Flames of Judgement se desenvolve como um RPG normal. Bárbaros usando bem os machados e arqueiros, os arcos. A evolução de todas as habilidades, sem exceção, é gradativa e naturalmente intuitiva. Cada skill evolui de maneira independente, conforme a regularidade do uso mesmo. Existe também um sistema automático de afinidade no campo de batalha. Funciona da seguinte forma: ao atingir um inimigo que esteja ao alcance, a mira de um outro arqueiro aliado por exemplo, existe a possibilidade desse arqueiro se valer de uma das tais habilidades e oportunamente realizar também um ataque ao mesmo alvo. Pra admirar ainda mais o leque das novidades, outra boa é poder trocar de armas facilmente sem nenhuma punição de movimento ou coisa do tipo. Porém, só se pode ir com duas armas por personagem.

VHFOJ (1)

Ao me aproximar da conclusão temo precisar, com pesar, reconhecer que não vejo sentido algum na anatomia dos personagens desse jogo. Sério, parecem mini-craques, lembram? Respeitosamente falando, não é preciso dar muita atenção a história dos cabeçudinhos se não julgar necessário. Quem joga sabe, a atenção mesmo, no caso desse tipo de jogo, precisa ser na hora de configurar seus pertences, comprar ou vender e, principalmente, ficar atento movimento a movimento no campo de batalha.

Seria semelhante a um jogo de tabuleiro no videogame. Ainda falando de terreno, campo de batalha e tudo mais… A interação com o cenário é bastante tradicional e justa, obviamente não dá, nem daria, pra acertar um indivíduo protegido por uma árvore, mesmo tendo uma cabeça tão grande, por exemplo.

VHFOJ (4)

Todo o jogo, desde o enredo, trilha, caracterização do cenário, dos personagens são de encantar e satisfazer qualquer fã seja da série ou mesmo só do gênero. Tem até aquele sangue jorrando quando alguém morre igual ao VH um e dois. Mas ainda paira no ar o motivo dos mini-craques. Segundo o que andei lendo, apesar se não serem fontes seguras, a ideia era fazer com que parecesse cartunesco – tipo Viewtiful Joe.

Vandal Hearts: Flames of Judgement é um jogo difícil e complicado, de gosto muito peculiar e individual, não agrada muito a quem olhar, mas é diversão garantida para quem busca gastar tempo e paciência em RPGs épicos.

VHFOJ (3)

Hints:

  • Vandal Hearts é o nome da espada capaz de cortar a barreira para o mundo sobrenatural.
  • Escolha e equipe bem para cada livro de habilidade.
  • Economize sempre, os recursos são extremamente escassos.
  • Use ataques corpo a corpo só quando for necessário ou propício.
  • Lembre-se de sempre se posicionar de maneira estratégica.

Participe com sua opinião!