em

O que o mundo está lendo: um olhar curioso

Recentemente o site visual.ly, especializado nos mais diversos e curiosos gráficos e esquemas, divulgou o ranking das obras literárias mais lidas no mundo nos últimos 50 anos. Para uma página que publica esquemas esdrúxulos como as diferenças entre o velho oeste e os jogos de pôquer online, esta não foi uma de suas listas mais inovadoras. Mas, o resultado desta, esse sim, trouxe algumas surpresas.

O que o mundo está lendo: um olhar curioso | Literatura | Revista Ambrosia

Como o gráfico mostra, o grande campeão de leitura é um velho conhecido que mantém a primeira posição há décadas, a Bíblia. A classificação, no entanto, é controversa. De fato, é difícil imaginar uma pessoa que, em algum momento da vida, não tenha lido ao menos uma citação bíblica. Contudo, é igualmente raro encontrar quem tenha lido toda a Bíblia, a não ser aqueles que trabalham com religião, obviamente. De uma forma ou de outra, não dá para duvidar que esta seja a obra mais conhecida na humanidade. É, pelo jeito a melhor lição de marketing aconteceu há dois mil anos atrás.

Apesar de ainda estarem longe de se equipararem à Bíblia, parece que o mercado literário infanto-juvenil também sabe muito bem como conquistar seu consumidor. O gênero domina a lista com os títulos Harry Potter, Senhor dos Anéis, O Código Da Vinci e A Saga Crepúsculo. Apesar do seu caráter fortemente comercial e de o público formado por crianças e jovens ser declaradamente uma mina de ouro, a qualidade dessas obras é inegável. Ou você acha que foi fácil criar um mundo imaginário, nomeando feitiços, animais e criaturas mágicas; inventar um novo idioma como fez Tolkien; unir raros conhecimentos históricos para criar uma surreal, mas envolvente teoria da conspiração ou, por fim, imaginar um vampiro que brilha e um lobisomem que nunca usa camisa?

Está bem, essa última não foi tão difícil assim, mas vendeu 43 milhões de cópias, então há de se respeitar.

O segundo lugar para as Citações de Mao Tsé Tung, a primeira vista é uma surpresa. Mas, se considerarmos que a China tem mais de um bilhão de habitantes, que o nada democrático governo chinês deve sugerir veementemente a leitura da obra e que o cara é um ídolo por lá, a marca de 820 milhões de leitores se torna bem menos impressionante.

A presença na lista de Think Big and Grow Rich (Pense e Enriqueça, em português) vai pelo mesmo caminho. A princípio é um tanto estranha, no entanto ao lembrar que vivemos em uma sociedade capitalista individualista, que a crise econômica é uma realidade até mesmo nas nações mais ricas, que o mercado está saturado e que os especialistas pregam que a única forma restante de acumular dinheiro é ser empreendedor e inovador, fica mais fácil imaginar este como um livro de cabeceira para 30 milhões de pessoas.

As grandes surpresas ficam mesmo para os três títulos restantes. Comecemos pelo último colocado, O Diário de Anne Frank. A enorme exposição midiática do Holocausto não é novidade, assim como o interesse do público no assunto. Porém, é justamente a enorme variedade e quantidade de filmes e livros sobre o assunto que torna a presença desta obra entre as 10 mais lidas surpreendente. O livro é lento e um pouco confuso, como deveria mesmo ser o diário de uma menina de 13 anos obrigada a viver escondida durante a guerra. Por isso, é curioso que tantas pessoas busquem sua leitura, mesmo tendo à disposição dezenas de produções cinematográficas sobre o holocausto com linguagem muito mais acessível.

O segundo elemento surpresa do ranking é Gone With the Wind (E o vento levou). Embora o filme de mesmo título tenha sido certamente decisivo para a conquista de público tão grande, é curioso que o posto não seja ocupado por outros atores mais populares que Margaret Mitchell e com muito mais obras reproduzidas na telona, a exemplo de Shakespeare.

Por fim, a maior surpresa de todas, especialmente para nós brasileiros: O Alquimista, de Paulo Coelho. Sim o livro entrou para o Guiness Book como a obra traduzida para o maior número de línguas no mundo (69) e é o título brasileiro com mais cópias vendidas no exterior. E sim o livro é elogiado pelas mais diversas personalidades desde o prêmio Nobel da paz Shimon Peres até ícones como Julia Roberts e Madonna, que afirmam ser seu livro favorito. Mas ocupar o quinto lugar entre as obras mais lidas no mundo inteiro? É no mínimo curioso. Apesar de seu grande prestígio internacional, Paulo Coelho sempre dividiu opiniões pelo caráter de autoajuda atribuído a muitos de seus livros. Arrebatou, assim, ao mesmo tempo, fãs inveterados e críticos ferozes.

Pelo visto, o time pró-Coelho levou a melhor. A favor ou contra o autor, não é nada mal encontrar um escritor brasileiro nessa lista. E que daqui para frente encontrar obras nacionais neste ranking não cause tanto espanto.

2 Comments

Deixe sua opinião!
    • Olá!

      De fato posso ter me expressado de forma errônea, Lu (desculpe pelo apelido, não sei seu nome completo). Quis dizer que são livros de linguagem com um formato mais mainstream, com uma temática mais popular e dinâmica e que, por isso, conquistaram um significativo público juvenil. Porém, de fato, o público adulto da obra também é bastante extenso.

      Espero que a resposta satisfaça sua crítica.

      Um Abraço

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação anapaulamansur