em ,

Banda Gente encerra ano em tom de esperança no novo clipe “Meu Sonho”

Em clima de otimismo, a carioca Banda Gente se despede de 2018 com um novo vídeo. Em “Meu Sonho”, o grupo mostra destaques do ano que passou, mesclando momentos nos palcos do Sesc Duque de Caxias e da Lona Cultural de Anchieta, e também nos bastidores, enquanto a canção saúda os sonhadores que ousam arriscar tudo em busca de atingir seus objetivos.

O registro dirigido por Eduardo Dias traz à tona as performances enérgicas da banda formada por Iolly Amancio (vocal), Wallace Cruz (guitarra), Nico Souza (guitarra), Clara Santos (bateria), Jonathan Panta (baixo) e Adonis Lima (percussão). A faixa é a última do disco “#SomostodosSilvas”, apresentando a mescla do samba, funk e baião ao rock n’ roll de uma sonoridade orgulhosamente miscigenada. É o que denominam de afrorock – ou simplesmente Música Preta Brasileira.

Essa temática tem sintonia com a letra de “Meu Sonho”, que narra o caminho de um trabalhador que larga tudo para se tornar protagonista de sua própria história. “A frustração de ser arrastado por uma vida de trabalho que sufocava o meu sonho, paradoxalmente, me presenteou com mais uma música”, reflete Wallce Cruz, compositor.

A Banda Gente reflete a pluralidade musical e social do Brasil em sua recente e já elogiada trajetória. O projeto, iniciado em 2011 na Baixada Fluminense, soma um EP, um álbum completo e passagens por alguns dos palcos mais importantes do circuito carioca – sempre tendo como norte uma música que se apropria de suas raízes para debater questões sociais, políticas e raciais em canções intensas e dançantes.

O disco “#SomostodosSilvas” coroa uma caminhada iniciada ainda em 2015, com o EP “O Rock Está no Ar”. Em 2016, o single “Rede” ganhou destaque no concurso de bandas do programa ZoaSom, das rádios MEC e 94FM, além de conquistar o primeiro lugar no Festival de Talentos da Música Brasileira. Em outubro de 2017, a banda lançou o seu primeiro álbum completo, viabilizado pelo edital Territórios Culturais Favela Criativa, da Secretaria de Estado de Cultura. O disco faz uma homenagem ao sobrenome mais popular do Brasil e carrega o orgulho da negritude, a luta que se enfrenta no dia-a-dia e a anti-banalização da violência contínua. São composições densas que representam vivências de uma cidade partida contextualizada pelo olhar da periferia.

Ao longo de 2018, a Banda Gente divulgou o disco pelos palcos do Rio de Janeiro. O show se destacou no II Festival de Música do Zimba e conquistou o 1º lugar como Melhor Banda, o 2º lugar para Melhor Composição (com a música “Rede”) e o 3º lugar para Melhor Vocalista-intérprete, com Iolly Amancio. Dando prosseguimento ao ciclo de “#SomostodosSilvas”, o grupo relançou o single “Viga Humana”, um dos destaques do trabalho, em uma versão elétrica que ganhou ainda uma live session em estúdio. Também foram divulgados vídeos para as faixas “Samba do Trem” e “Infância” e o single “Massa”, relançado nas plataformas de streaming.

A Banda Gente segue preparando outras novidades para 2019.

Ficha técnica

Iluminação: Jon Thomaz
Captação de áudio: Espaço 989 Artes
Mixagem: Guilherme Benaion
Masterização: Espaço 989 Artes
Produção de áudio: Espaço 989 Artes
Edição: Tathy Cerutti
Fotografia: Eduardo Diass
Produção: Cerutti Diass Fotografia
Imagens: Eduardo Diass
Tathy Cerutti
Dirigido por Eduardo Dias