Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Chelle lança “Gaia”, sua primeira música autoral

O single de estreia já está disponível em todas as plataformas digitais

No single de estreia de sua carreira, a artista gonçalense Chelle saúda a mãe natureza. Com a canção “Gaia”, ela abre uma nova fase de sua trajetória que a partir de agora será dedicada às suas músicas autorais.

Embora sua veia musical seja totalmente voltada para a Black Music, muito puxado pelas vertentes do R&B, Soul e Jazz, a primeira estreia é um canto ritualístico e de origem no ritmo Ijexá africano, bastante popular no Brasil.

“Quando finalmente me descobri e comecei a fortalecer minha personalidade artística, veio a pandemia e eu não pude me lançar no mercado musical. Então, lançar essa canção é muito oportuna, foram as águas que me deram essa canção”, comenta Chelle.

A pandemia foi um convite à criação para muitos artistas e para Chelle não foi diferente. Na ocasião, ela foi convidada para escrever uma canção autoral e se apresentar no Prêmio Jovem da Água de Estocolmo – Etapa Brasil realizado pela Abes Saneamento por dois anos consecutivos. O prêmio encoraja jovens entre 15 e 20 anos do mundo todo, a apresentarem soluções para desafios relacionados à água e sustentabilidade.

Depois que as edições do Prêmio se encerraram, ela decidiu que seria uma hora para lançar a música ao público geral. A artista que integra como cantora solista a Orquestra Municipal de São Gonçalo explica o conceito por trás da música.

“Gaia é a mãe natureza, a própria natureza. O ser humano está desalinhado do seu verdadeiro propósito e precisamos resgatar nossa conexão divina com a Mãe Terra e isso me pareceu fazer muito sentido neste ano, em que finalmente, pudemos sair de nossas casas e voltar à vida mais ou menos normal”, conta.

Com sua sonoridade, a canção “Gaia” é um convite para conhecer mais de perto a mistura que é um encontro África-Brasil e celebra com respeito a contribuição das comunidades negras para a música popular brasileira. Com o apoio de músicos locais e a direção de arte realizada pela agência Domas, o conceito de arte e a gravação foi finalizada sendo disponibilizada hoje em todas as plataformas, não sem antes deixar, um gostinho de “quero mais” em quem escutar e, por isso, Chelle deixa seu recado.

“Ainda tenho muita coisa boa para lançar. Eu tenho passado muito tempo compondo, estudando e me preparando para mostrar ao mundo o meu trabalho, eu tenho certeza que as pessoas vão me ouvir no rádio qualquer dia desses”, finaliza emocionada.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Exposição fotográfica “A Força Dela” revela protagonismo feminino

Próxima publicação

Quarteto Boulanger: a música pelo olhar feminino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir