em ,

Deftones e as faces do “White Pony”

Provavelmente como já aconteceu depois de ouvir o disco em questão, tenho fé que suas opiniões mudarão sobre o denso e tão mal interpretado “new metal” daquela época.

Eles começaram em 88 ainda na escola em Sacramento. Aprofundavam suas relações e idéias em meio a um consumo medroso e deslumbrado de álcool, drogas e roles de skate — imprevisíveis. Integrado por Chino Moreno (vocais e guitarra), Stephen Carpenter (guitarra), Sergio Vega (Baixo), Frank Delgado (DJ e sintetizador), e Abe Cunningham (bateria e percussão). Deftones lançou em março de 2000 “White Pony” como terceiro disco da banda.

Além de ter como participação definitiva e super competente de Moreno em algumas guitarras e a oficialização de Frank Delegado na banda, o disco ganhou o Grammy de 2001 pela melhor performance de metal com a música “Elite” e tornou-se disco de platina em julho de 2002 com 1,3 milhões de cópias vendidas numa época que já não se falava mais tanto em vendagem de discos.

Riffs, guitarras e vozes — todas com muito filtro, efeitos e muita tecnologia constroem um som indiscutivelmente único e original ao lado das letras subjetivas, poéticas e de diversas interpretações de Moreno. O arranjo as vezes dissonante de cordas milimetricamente timbradas e afinadas de forma não convencional tornam o disco uma obra sonora cheia de sentimentos, climas e bastante peso, distorção e “balanço” que poucas bandas hoje em dia inclusive não conseguem ”imprimir” claramente isso para seus fãns com tanta honestidade.

Falando mais sobre o disco propriamente dito, foi lançada simultaneamente uma versão limitada de White Pony com a capa vermelha e preta contendo uma música bônus “The Boy’s Republic“. Diferente da primeira versão que é basicamente toda cinza, uma outra versão do disco foi relançada em 3 de outubro do mesmo ano com uma brincadeirinha entre “Back to School”, “Pink Maggit” e o ” RAP” que ainda, pelo visto, teimava em pulsar em suas veias. O resultado foi o Single “Back to School (Mini Maggit)” que integrou esse tal disco relançado de capa e encarte brancos.

5 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Menosprezar Deftones é muita sacanagem. Esse disco é perfeito, realmente um dos meu prediletos.
    Mas toda a discografia da banda merece atenção. Por diferentes motivos.
    Espero que o preconceito que rolava na época do lançamento dele tenha morrido e mais pessoas possam desfrutar dessa banda que ultrapassa o rótulo do “new metal”.
    Deftones é muito foda.

    • Olá Luiza, desse cd em questão, Pessenger foi a que mais me chamou a atenção logo de cara mas a minha preferia é RX Queen embora eu seja fã quase que numero 1 de Be Quiet and Drive do cd anterior ao White Pony, o Around the Fur.

Participe com sua opinião!