Ambrosia Música Gabriella Cilmi

Gabriella Cilmi

Tive o prazer de ouvir o disco de estréia desta jovem cantora australiana e sinceramente, é uma das boas novidades que podemos ver no mercado fonográfico nos últimos anos.

Não vou negar, eu sou um cara extremamente chato quando se fala de música. Não porque eu não goste de nada, é diferente. Eu gosto de uma gama até que ampla de bandas e artistas, o problema é gostar dessas bandas e artistas por muito tempo a ponto de querer ouvir o cd no modo repeat.

Essa moça ganhou meu respeito, e digo moça com propriedade porque ela tem só 17 anos de idade e canta primorosamente. Sua voz é uma mistura de Anastacia, Amy Winehouse e Macy Gray e, acompanhada de um trio guitarra, baixo, bateria, toca um som que lembra um Jazz clássico e um rock dos bee gee’s em algumas músicas.

Some-se a voz dela com músicas em tom de Jazz dos anos 60 ou um pop estilo Bee Gees, facilmente tocáveis com violão, baixo e bateria e temos uma artista que facilmente pode tocar um show inteiramente acústico, como ela o fez no programa de Jolls Holland, um pianista e apresentador da TV inglesa.

Seu primeiro disco, “Lessons To Be Learned” não foi top 5 na Billboard, não vendeu milhões nem nada, mas é uma pequena mostra do que essa moça é capaz.

Não quero ficar fazendo análises completas do disco e nem avaliando suas músicas uma por uma. Só posso dizer que ouvir o disco por inteiro é uma sensação muito boa. Se ele começa todo elétrico com “Save The Lies”, temos pequenas pérolas e diamantes como “Sweet About Me”, “Einstein”, “Safer”, “Sit in the Blues”, músicas calmas e gostosas de ouvir, “Don’t Wanna Go To Bed Now”, “Messy, são o mais próximo de pancadão que ouvimos no disco, lembrando Goldfrapp, mas sem a parte eletrônica.

Obvio que há alguns pecados no disco. “Terrifying” por exemplo é uma música extremamente chata e só de ter aumentado o volume da guitarra já se perdeu do resto do disco.

Mas no final das contas, de 12 músicas, mais a bônus “Echo Beach”, temos um disco que é 90% delicioso de se ouvir. Só acho que ela tem que sair de cima do muro quando se trata de alguns estilos de música. Ou vira uma cantora de Jazz plena, ou já descamba pro rock o que com certeza arrasaria sua carreira.

Há muito para se explorar nessa moça (sem duplo sentido, por favor!!), mas ela tem que ser melhor amparada tanto em relação ao seu estilo quanto a suas letras que sinceramente pecam claramente pela falta de originalidade.

Para quem quiser ver, abaixo três vídeos dela:


Save The Lies
Don’t Want To Go To Bed Now

Site oficial.

J.R. Dib

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação