em

Guia inusitado das canções de amor

Dia dos Namorados não é para qualquer um. As propagandas de TV usam o tema para vender qualquer bugiganga, e você geralmente compra o presente errado pra sua garota. Ainda corre o risco de receber na porta da sua casa um daqueles carros de som com mensagens românticas que vão te envergonhar na frente de todos os vizinhos. Nas rádios, claro, só o pior do cancioneiro meloso romanticuzinho. Mas aqui no Ambrosia é diferente. Vou tentar fazer uma seleção de canções e vídeos incomuns. Por isso não entra Beatles, Stones nem Roberto Carlos.

O Big Star é uma dessas bandas geniais que não fazem nenhum sucesso e só tem seu talento reconhecido quando seus membros já estão no asilo ou no cemitério. O conjunto durou de 1971 a1974. “Thirteen”, gravada em 1972, é uma visão inocente e delicada dos primeiros namoros adolescentes.

Muito humor negro neste vídeo do Tom Petty.

Guia inusitado das canções de amor | Música | Revista Ambrosia

Nick Cave, que já uma personalidade sombria, gravou um disco só com canções sobre assassinatos: “Murder Ballads”. Esta é uma delas, em um inesperado dueto com a rainha do pop australiano Kylie Minogue. Sinistro.

“Queen Bitch”, gravada por David Bowie nos anos 70, foi um dos primeiros rocks com temática homossexual. O protagonista da canção está tomado por ciúmes. A sonoridade mostra claras influências do rock alternativo norte-americano da época. E as roupas…sem comentários.

Uma das últimas canções gravadas pelo LCD Soundsistem, “Drunk Girls” é bem divertida e nem um pouco romântica. Mas quantas bebedeiras não acabam em namoro?

A letra de“Venus in Furs”, do Velvet Underground fala sobre sadomasoquismo de modo poético. Dizem que é perversão, mas é somente outra forma de amor. “Taste the whip/ Now bleed for me”.

Uma banda chamada My Bloody Valentine não poderia faltar nesta seleção. “Feed Me With Your Kiss” soterra a luxúria sob toneladas de barulho.

“Waterloo Sunset” narra o encontro de dois namorados, com o refinamento melódico que a banda britânica The Kinks  alcançou em seu auge.

“Innocent When You Dream” tem um video bem estranho, “Tango Till They Shore” tem um som de piano assombrado e “Downtown Train” foi o grande sucesso de Tom Waits. Todas falam de amor e estão repletas de personagens marginais.

Guia inusitado das canções de amor | Música | Revista Ambrosia

Morrissey, romântico ao extremo, mas com bom humor.

“Christine”, da obscura banda britânica House of Love, é uma “love surf music fantasmagórica”.

Billy Bragg, porta voz da classe trabalhadora britânica, canta: “Vou celebrar meu amor por você/ Com uma caneca de cerveja e uma nova tatuagem”.

Formado no fim dos anos 60, The Stooges seria uma influência seminal para o movimento punk, com seus rocks agressivos de poucos acordes. Os luxuriosos 3 minutos e nove segundos de “I Wanna Be Your Dog” foram gravados em 1969.

“Tangled Up in Blue”foi lançada por Bob Dylan em 1975. É quase um conto musicado, sobre um homem que pega a estrada para reencontrar a mulher que ama.

Buddy Holly teve uma carreira curta. Lançou seu primeiro compacto em 1956 e faleceu em 1959, em um acidente aéreo. “Peggy Sue” foi sua melhor canção e foi considerada inovadora na época, pelo modo como a bateria e a guitarra foram gravadas.

Os punks também amam, e os Undertones ainda eram adolescentes quando gravaram “Teenage Kicks”. A canção fala sobre uma bela garota que acaba de se mudar para o bairro dos rapazolas.

Guia inusitado das canções de amor | Música | Revista Ambrosia

 O francês sacana Serge Gainsbourg compos e gravou em dueto com Brigitte Bardot esta canção sobre o famoso casal de marginais: ”Bonnie and Clyde”

Canção composta nos anos 60, ganhou sua melhor interpretação pela banda hardcore Minor Threat. O protagonista de “Good Guys (Don´t Wear White)” tenta convencer sua garota a não julgá-lo pelas aparências.

O Galaxie 500 foi uma importante banda de rock alternativo norte-americana. “Tugboat” é o hino do namorado despreocupado: “Eu não quero ficar na sua festa/ Eu não quero conversar com seus amigos/ Só quero ser o capitão do seu navio”

“Somebody to Love” foi gravada pelos psicodélicos Jefferson Airplane em 1967.Você não quer alguém para amar?

Jonathan Richman odiava os hippies e amava as bandas pré-punk,comoo Velvet Underground e os Stooges. “True Love is Not Nice” ressalta o lado ruim de se apaixonar:”pain, pain, pain…”

O Joy Division acabou bruscamente quando o vocalista Ian Curtis se matou. “Love Will Tear us Apart” é a canção mais conhecida da banda.

O Libertines conseguia unir delicadeza lírica e rispidez punk em canções como “Can´t Stand Me Now”

O Arctic Monkeys vem amadurecendo a cada disco. “Suck it and See” é poética e divertida.

O protagonista de “Luckiest Guy”, da banda Magnetic Fields, se sente sortudo porque tem carro e sua amada quer dar uma volta. Simples assim.

Segundo Leonard Cohen, Chelsea Hotel” é uma “homenagem” à cantora Janis Joplin, com quem teve um rápido relacionamento. A letra, toscamente traduzida, diz algo como: “Me lembro bem de você/ No Hotel Chelsea/ Fazendo um boquete na cama desarrumada/ Enquanto as limusines esperavam na rua”…

Guia inusitado das canções de amor | Música | Revista Ambrosia

O amor era um dos temas preferidos de Marvin Gaye, e “Heard Trhough the Gravepine” foi um de seus maiores sucessos.

Nancy Sinatra, a filha do Frank, gravou suas melhores canções em parceria com o cantor e compositor Lee Hazlewood  “These Boots Are Made for Walking” foi lançada em 1966. No mesmo ano foi lançada a melancólica “Bang Bang (My Baby Shot Me Down)”.

Portishead, e suas canções de clima sinistro. Mas o vídeo de “Glory Box” é bem engraçado. É estranho, mas é engraçado.

“Do You Remember The First Time?” é uma canção típica do Pulp, cheia de humor britânico. Você se lembra da sua primeira vez?

O Raveonettes é uma banda dinamarquesa que mistura rock dos anos 50 e 60 com muito barulho de guitarras. “Great Love Sound”

“Dirty Boots” não é a coisa mais romântica que o Sonic Youth gravou, mas entra na lista pelo vídeo.

Van Morrison misturou música folclórica irlandesa, jazz e soul, e o resultado foi a magnífica “The Way That Young Lovers Do”.

Regravação do sucesso “I Will Survive”, de Gloria Gaynor. Meio melancólico, meio debochado.

O Yeah Yeah Yeahs é uma das bandas mais interessantes dos últimos tempos, e o vídeo de “Cheated Hearts” é divertidíssimo.

Lançada em 1967, “Love Me Two Times” foi escrita pelo guitarrista do The Doors, Rob Krieger.

Aretha Franklin: “I Never Loved a Man the Way I Love You”, só para dar um pouco de classe a esta lista.

O Blondie começou tocando um rock meio anos 60, com um pé na garagem, mas logo se rendeu ao pop. “Heart of Glass” foi lançada em 1979.

O Lemonheads pode não ser lá uma grande banda, mas “Outdoor Type” conta a hilária história de um cara que não quer acampar com sua parceira: “Eu não consigo subir em árvores/ Deixar a barba crescer ou mesmo brigar”.

Esta do U2 só entra na lista porque a mulherada vai achar o vídeo “fofo”.

Esta dos Beach Boys entra na lista porque é uma das obras-primas do pop.

Guia inusitado das canções de amor | Música | Revista Ambrosia

2 opinaram!

Deixe sua opinião!

Deixe sua opinião

Publicado por Gustavo Guimaraes

Prometheus – Uma Odisséia no Espaço

A divertida versão mutante de Os Muppets