em ,

Jazzmeia Horn reflete a força do amor negro no clipe “Let Us (Take our time)”

Artista americana indicada ao Grammy combina jazz e sensualidade na nova faixa

Após um convite para retornar a um lugar de aconchego no single “Lover come back to me”, a cantora e compositora americana Jazzmeia Horn faz de sua nova canção e primeiro clipe de seu próximo disco uma amostra sensual do amor. “Let Us (Take our time)” é mais uma faixa revelada de “Dear Love”, um álbum manifesto de uma artista em franca evolução e que será lançado ainda este ano. 

Unindo jazz com inspirações de R&B e hip hop, Jazzmeia Horn se prepara para lançar um projeto não só ousado como histórico. Feito para big band com trabalho orquestral, “Dear Love” é um dos poucos discos do estilo não só liderados, mas arranjados e produzidos por uma mulher negra. O álbum traz poesia e spoken word para falar de vários aspectos da vivência de uma pessoa afroamericana – desde a questão da solidão da mulher negra até reflexões sobre o racismo a partir de composições pessoais e intensas. Em “Let Us (Take our time)”, Jazzmeia entrega uma canção envolvente e climática embalada por um clipe que mostra a força e a paixão do amor negro vivenciados pela própria artista, mas sem muita representatividade na cultura de massa.

“‘Dear Love’ é um álbum inteiro de poemas e músicas que são canções de amor para todos os aspectos amorosos na minha vida, e esta em particular se dirige ao meu amor e amante. Digo para ele ‘vamos manter o ritmo com o que sabemos sobre o passado, não precisamos ir muito rápido’. Isso significa ‘vamos construir algo espetacular baseado no que sabemos da nossa história e o que os nossos antepassados nos deixaram. Devagar e sempre levam à vitória”, reflete ela. 

“Também digo ‘com harmonia e paz, amor, felicidade, faremos nosso melhor. Não vamos viver com stress. Podemos ser bem sucedidos e ricos no amor, mas vamos com calma’. E quero dizer exatamente isso. Espero que todos que amam alguém possam aproveitar isso. É o que chamamos na comunidade afroamericana de ‘música para fazer bebês’”, se diverte a artista.

Duas vezes indicada ao Grammy, vencedora da Sarah Vaughan International Jazz Competition, do Thelonious Monk Institute International Jazz Competition e do NAACP Image Award, Jazzmeia olha a tradição dos trabalhos de big band com respeito e vontade de ir além. “Dear Love” é uma sequência temática e ruptura sonora dos seus trabalhos anteriores, “A Social Call” (2017) e “Love and Liberation” (2019).

“‘Dear Love’ é importante para mim porque cumpri um dos meus maiores objetivos na vida: escrever, arranjar, produzir e gravar meu próprio projeto. Além disso, ser uma das primeiras mulheres negras a escrever e liderar um álbum de big band em sua totalidade, algo historicamente masculino, é uma honra”, reflete Jazzmeia.

“Dear Love”, aborda três aspectos específicos da existência de Jazzmeia: seu amor pela sua comunidade, o amor físico e carnal por alguém e o amor próprio, tudo junto de uma poesia densa. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *