Lançamento do livro “Das Beiradas ao Beiradão” no Bixiga

Livro sobre a música dos trabalhadores migrantes no Amazonas, conta com shows e exibição de documentários em seu lançamento

25
1

Dias 7 e 8 de julho, Bernardo Mesquita lança, com shows no Bixiga, o livro Das Beiradas Beiradão da Valer Editora. No dia 7 de julho, sexta-feira, às 19h, tocam Vinícius Camargo, Felipe Cordeiro e Comitiva Beiradão na ECLA, Espaço Cultural Latino Americano. No dia 8, sábado, às 18h, shows de Vinícius Camargo, Grupo de Carimbó Paidégua, Marcelo Nakamura e Comitiva Beiradão no Bar-Restaurante Pará-Bahia. As apresentações são gratuitas!

Após percorrer as cidades de Belém, Manaus, Boa Vista, Porto Velho, Santarém, São Luís e Rio de Janeiro o livro Das Beiradas ao Beiradão chega em São Paulo com a Comitiva Beiradão, um coletivo de músicos praticantes das artes beiradeiras.

 O lançamento terá roda de conversa, apresentação musical e a exibição de dois documentários O Áureo da música de Beiradão nas rádios manauaras do músico Paulo Moura e Beiradão – O Ritmo do Interior de Fidel Graça. 

O livro Das Beiradas Beiradão mergulha fundo na história dos trabalhadores músicos amazonenses. Propõe-se investigar as transformações históricas produzidas por estes músicos no processo de sua integração dependente e monopolística ao capital global. A música amazonense desenvolveu-se através das transformações nas formas de produção e reprodução da vida material, processos de imigração vertiginosos e por meio de novas relações de produção, distribuição, troca e consumo de música.

Gradativamente novos estilos, e padrões de instrumentação alinhados com a indústria capitalista da música foram se estabelecendo. Na década de 80, quando ocorreu o fenômeno de produção discográfica da música amazonense, os trabalhadores músicos migrantes já viviam em Manaus vivenciando a música popular urbana assim como sua influência sobre o meio rural.

 A experiência de vida dos músicos amazonenses é de grande importância na construção deste conhecimento histórico pois revela a transformação da região, que foi de uma situação de ruralidade pré-industrial a uma formação urbano-industrial dependente, moderna e globalizada. Os músicos dessa geração viveram essa transição, pois nasceram em cidades do interior do Amazonas e construíram suas vidas na capital Manaus, sem abandonar os vínculos com suas cidades natais. Os saberes, costumes e práticas culturais das populações rurais em fluxo migratório a Manaus passaram por transformações próprias do processo de desenvolvimento integrativo da região ao capitalismo monopolista. É no sentido da valorização desta construção que sustentamos esta investigação.

A imigração é um determinante importante nesta investigação pois revela um intercâmbio musical significativo entre
geração de músicos que tocavam na cidade e nos interiores.  Neste texto é possível observar a trajetória histórica dos músicos migrantes que chegaram no Amazonas assim como daqueles que saíram do Estado em função de sua inserção na produção fonográfica.

A condição de migrantes destes músicos permite pensar sua música como um processo em movimento dialético dentro da expansão capitalista da região e não apenas como uma tradição cultural fechada. Tal circulação musical, ocorre no mercado musical formado entre as apresentações realizadas na capital Manaus a partir dos anos 50, dentro dos clubes, hotéis, boates e lupanares, e as cidades dos interiores no contexto das festas de santo e outras  ocasiões festivas. O papel da indústria, da rádio e do comércio local também são considerados elementos fundamentais no conjunto geral da luta de classes vivenciada por esta parcela da classe trabalhadora.

O conjunto factual levantado nos últimos anos levou a produção do livro Das Beiradas ao Beiradão: a música dos trabalhadores migrantes do Amazonas. Através de uma historiografia marxista da música nosso caminho metodológico sinaliza um novo conjunto de determinações significativas, enriquecendo definitivamente as investigações já realizadas até este momento.

Livro
Das Beiradas ao Beiradão – a música dos trabalhadores migrantes no Amazonas.
Autor Bernardo Mesquita
Manaus
Editora Valer, 2022
384 páginas
ISBN 978-65-5585-343-8
O livro está nas principais livrarias virtuais

Bernardo Mesquita é músico e professor de história da música brasileira pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

Serviço

Shows de lançamento do livro Das beiradas ao Beiradão de Bernardo Mesquita
Exibição de doisdocumentários O Áureo da música de Beiradão nas rádios manauaras do músico Paulo Moura e Beiradão – O Ritmo do Interior de Fidel Graça

Dia 7 de julho, sexta-feira, às 19h
Shows de Vinícius Camargo, Felipe Cordeiro e Comitiva Beiradão
Local: ECLA, Espaço Cultural Latino Americano
Rua Abolição 244, Bixiga.  

Dia 8 de julho, sábado, às 18h
Shows de Vinícius Camargo, Grupo de Carimbó Paidégua, Marcelo Nakamura e Comitiva Beiradão
Local: Bar-Restaurante Pará-Bahia
Rua Santo Antonio 1277 no Bixiga. 

Os dois shows são gratuitos
Duração de 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos

Release

mbemel
WRITTEN BY

mbemel

Jornalista, atuo como Assessora de Imprensa da Bemelmans Comunicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One thought on “Lançamento do livro “Das Beiradas ao Beiradão” no Bixiga

  1. A propaganda é maravilhosa! Quem dirigia a Volks durante o nazismo não existe mais. Morreu! A empresa continua viva, reconheceu os erros e gera empregos. A tecnologia foi melhor utilizada pela Volks em uma peça de propaganda do que nessa “fake opinion”. Leopoldo José da Silva. Advogado e Jornalista. S. José da Boa Vista/PR.