Morre Andy Rourke, baixista do The Smiths

Ex-companheiros da clássica banda inglesa prestam homenagens

29
0

Morreu aos 59 anos o baixista inglês Andy Rourke, mais conhecido por seu trabalho no The Smiths. A notícia foi dada por Johnny Marr, o guitarrista da banda, nesta sexta-feira (19), descrevendo-o como uma “alma gentil e bonita” e “extremamente talentoso”. O músico lutava contra um câncer no pâncreas.

Marr e Rourke se tornaram melhores amigos depois de se conhecerem na escola em 1975 e tocaram em várias bandas no sul de Manchester antes de se formarem o The Smiths, que incluía o vocalista Morrissey e o baterista Mike Joyce.

Marr twittou: “É com profunda tristeza que anunciamos a morte de Andy Rourke após uma longa doença com câncer pancreático.

“Andy será lembrado como uma alma gentil e bonita por aqueles que o conheceram e como um músico extremamente talentoso pelos fãs de música. Pedimos privacidade neste momento triste.” (via The Telegraph)

Joyce também prestou homenagem ao companheiro dizendo em seu Twitter:” Não apenas o baixista mais talentoso com quem já tive o privilégio de tocar, mas também o rapaz mais doce e engraçado que já conheci. Andy deixou o prédio, mas seu legado musical é perpétuo. Já sinto muito a sua falta. Para sempre no meu coração, companheiro.”

Já Morrissey em seu site oficial publicou um texto tributo. leia abaixo:

“Às vezes, uma das coisas mais radicais que você pode fazer é falar com clareza. Quando alguém morre, surgem as lisonjas de sempre… É como se a morte estivesse ali para ser usada. Não estou preparado para fazer isso com Andy. Só espero, onde quer que Andy tenha ido, que ele esteja bem. Andy nunca morrerá enquanto sua música for ouvida. Ele nunca conheceu seu próprio poder, e nada do que ele tocou foi tocado por outra pessoa. Sua distinção era tão fantástica e não convencional — e ele provou que poderia ser feito. Ele também era muito, muito engraçado e muito feliz, e pós-Smiths, ele manteve uma identidade estável — nunca realizou quaisquer movimentos fabricados. Suponho que, no final de tudo da vida, a gente espera sentir que foi valorizado. Andy não precisa se preocupar com isso”.

Andrew Michael Rourke nasceu em Manchester, em 17 de janeiro de 1964, e ganhou um violão de seus pais aos 7 anos. Aos 11 conheceu Marr na escola, com quem compartilhava o interesse por música e os dois costumavam fazer jams na hora do recreio com seus violões.

Depois que Marr formou o The Smiths com Morrissey, chamou Rourke para substituir o baixista anterior, Dave Hibbert, em 1982. A banda se tornou uma das mais bem-sucedidas da Grã-Bretanha entre 1983 e 1987, ano em que se separaram. Em 1989 o baixista, junto com o baterista, Rourke processou Morrissey e Marr por royalties. Com pouco dinheiro devido ao vício em heroína, o baixista fez um acordo fora do tribunal por £ 83.000 e 10% dos royalties futuros, renunciando a todas as reivindicações posteriores; Joyce prosseguiu com a reclamação até 1996 e acabou ganhando substancialmente mais no tribunal.

Rourke colaborou com outros artistas como Sinéad O’Connor, The Pretenders, The Killing Joke e outros, incluindo Morrissey. Na carreira solo do ex-vocalista do The Smiths ele tocou baixo em ‘November Spawned a Monster’ e ‘Piccadilly Palare’ (ambas de 1990) e musicou ‘Yes, I Am Blind’ (lado B de ‘Ouija Board, Ouija Board’, 1989); ‘Girl Least Likely To’ (lado B do single de ‘November Spawned a Monster’; também lançado como bonus track no relançamento de 1997 do álbum “Viva Hate”); e ‘Get Off the Stage’ (lado B de ‘Piccadilly Palare’).

Em 2005, Rourke formou o Freebass, um supergrupo de rock formado pelos baixistas Peter Hook, do Joy Division e New Order, e Gary ‘Mani’ Mountfield, do The Stone Roses e Primal Scream, além do cantor Gary Briggs. Supostamente, essa ideia de uma banda com três baixistas foi de Hook, durante uma noite de bebedeira.

Em 2006, Rourke ajudou a organizar o Manchester v Cancer, um show beneficente na MEN Arena de Manchester para ajudar na pesquisa do câncer, tocando junto com Johnny Marr.

Em 2009 se mudou-se de Manchester para Nova York, deixando o Freebass no ano seguinte. Em 2014 gravou com Dolores O’Riordan (The Cranberries) no projeto intitulado D.A.R.K.

Em 2018, uma reunião envolvendo ex-membros do Smiths, sendo encabeçada pelo baterista Mike Joyce, chegou a ser planejada, e contaria com a participação do guitarrista Craig Gannon – que entrou na banda em um período em que Andy Rourke estava afastado devido ao vício em heroína – e supostamente do baixista (lembre aqui). O projeto, no entanto, foi cancelado depois que Rourke alegou que não havia dado permissão e não participaria.

Andy Rourke deixa a esposa Francesca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *