Na restinga de beira-praia, “Marcha, Mastro e Fé”, de Arthur Navarro, evoca cultura do Congo capixaba em novo lançamento

1
0

A origem da cultura do Congo no Espírito Santo é inspiração para música, letra e, agora, clipe “Marcha, Mastro e Fé”, do instrumentista, compositor e produtor Arthur Navarro. A faixa está presente no álbum “Fusão Ancestral” (2021), uma parceria de Navarro com o músico e maestro indiano Kiranpal Singh que une elementos ocidentais e orientais estabelecendo diálogos harmônicos entre instrumentos de diferentes culturas e revelando notas de psicodelia nacional, música clássica indiana e congo – ritmo capixaba.

“A história relata que no século 18 o naufrágio de um navio que transportava pessoas escravizadas vindas da África levou sobreviventes até a costa da praia do Espírito Santo. Essas pessoas teriam trazido a cultura do Congo, amplamente difundida hoje no estado”, comenta Navarro, também pesquisador de música e culturas populares. Baseado em batucada de tambores típicos, dança e cânticos diversos que homenageiam São Benedito, o Congo é uma manifestação festiva.

A ideia para o vídeo foi trazer essa atmosfera histórica como pano de fundo para uma narrativa de amor que transcende tempo e espaço, jogando luz à alegria e mistérios do povo africano e mostrando de forma lúdica, com ilustrações e animação de Luiz Quintanilha, quanta riqueza simbólica havia ali. “O jovem Benê realiza uma viagem espiritual ao passado e se depara com as alegrias, glórias e sofrimentos de seu povo, além de reencontrar Yanã, seu amor ancestral”, comenta Navarro sobre a obra audiovisual, cujo roteiro e direção ele assina.

Ouça também a “Fusão Ancestral” na íntegra:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *