em ,

Pianista Dan Costa se inspira no Brasil em seu primeiro álbum instrumental

O pianista e compositor europeu Dan Costa lança seu primeiro álbum instrumental Suite Três Rios, gravado no Brasil no ano passado, com participações de Jaques Morelenbaum, Leila Pinheiro, Teco Cardoso e Marcos Suzano, entre outros. O título do disco foi inspirado no “encontro das águas” na Amazônia, marcado pelo encontro do Rio Negro com o Rio Solimões. O CD está disponível em várias plataformas, como são iTunes e Amazon, e já alcançou o primeiro lugar nas vendas Jazz no iTunes e o TOP 10 dos mais vendidos no iTunes Portugal. E ganhou recentemente 4.5 estrelas da revista “ All About Jazz”, em matéria que ressalta a importância do disco no contexto da música instrumental brasileira.

“Suite Três Rios surgiu de uma forma muito natural quando eu morei no Brasil, onde vivi de 2012 a 2013”, conta Dan. “É um olhar pessoal sobre determinados elementos do universo rítmico brasileiro, cruzados com o jazz e a música clássica, que foram importantes no meu percurso. Este meu primeiro álbum também reflete a minha ligação com a natureza. As minhas próprias origens refletem uma confluência de culturas no seio do contexto europeu, que influenciaram este trabalho e a minha forma de sentir e viver”, completa.

Nascido em Londres, onde morou até aos nove anos, Dan Costa é descendente de pai português e mãe italiana, e, em casa, nunca falaram inglês ou francês, por isso sua raiz cultural é bem latina. Kevin Hays, Scott Colley, Kurt Rosenwinkel, Jorge Rossy, Chick Corea e César Camargo Mariano são alguns dos músicos onde foi beber na fonte. Das influências, ressalta que César Camargo Mariano o impactou com sua interpretação da música popular brasileira para piano – principalmente samba e choro. Já na linguagem norte-americana, Chick Corea e Keith Jarrett, que nunca teve o prazer de conhecer. E continua a apaixonado pela guitarra de Kurt Rosenwinkel e também pela do norueguês Lage Lund.

Participe com sua opinião!