em

Rock In Rio: Tenacious D de Jack Black é uma divertida homenagem ao rock

Jack Black é aquele cara que certamente não ouviu nenhuma palavra encorajadora quando revelou que pretendia ser um rock star. Por não ser nenhuma sílfide, a maioria deve ter duvidado que esse sonho vingaria. Felizmente ele não se deixou influenciar. Da mesma forma que Elvis Costello tinha  Buddy Holy  como referência de roqueiro de óculos, a resposta na ponta da língua de Black para os que não acreditavam nele por causa de seu shape rechonchudo era Meat Loaf. Tanto que no filme “Tenacious D: uma dupla infernal”, ele chamou Loaf para uma ponta como seu pai.

O Tenacious D pode não ter se tornado um grande sucesso de vendas nem lotar arenas e, sim, Black é muito mais conhecido pelo seu trabalho no cinema, mas não há como negar que ele e seu parceiro (também gordinho) Kyle Gass realizaram um sonho. Assim como em 2015 a grande curiosidade do Rock In Rio era conhecer a banda do Johnny Depp (a Hollywood Vampires, liderada por Alice Cooper e com Duff do Guns N’ Roses), a vinda do ator com um projeto musical ao Rock In Rio 2019 despertou interesse de quem aguardava pelo Weezer e Foo Fighters.

A pegada da banda é humorística, como se poderia esperar. As letras não são para serem levadas a sério, a dupla simula desentendimento no palco, tocam instrumentos pouco convencionais como flauta de brinquedo, e abusam da piada com os mandamentos da postura de um roqueiro no palco. Mas sem abandonar a música. A esperada participação do brasileiro Júnior Groovador, um baixista virtuoso potiguar sui generis, correspondeu às expectativas, em um bem-humorado (e bem tocado) mashup de forró com o grunge de ‘Smells Like Teen Spirit’, a primeira homenagem à ex-banda de Dave Grohl, principal atração da noite comandando o Foo Fighters (a outra foi ‘Lithium’ no show do Weezer).

O cenário do palco era um desenho projetado ao fundo de um castelinho como em peças infantis com as torres laterais em forma de pênis e o portão uma vagina. Sim, pueril em alguns aspectos, mas, com toda bufonaria, o Tenacious D é uma declaração de amor ao rock, há até uma música chamada ‘Dio’, por exemplo, em homenagem ao falecido vocalista do Black Sabbath e Heaven and Hell. O carisma de Black é incontestável, além de sua capacidade de improviso (inserindo trechos de ‘Oh What a a Night’ do Four Seasons ao agradecer no final do show e de ‘Rio’ do Duran Duran, para homenagear a Cidade maravilhosa – mas a música não é sobre a cidade brasileira). E assim ele segue sustentando o sonho roqueiro com seu prestígio como ator hollywoodiano.

Deixe sua opinião

Rock In Rio: os encontros de nomes do Rock Brasil nos palcos Sunset e Mundo no segundo dia

Rock In Rio: Whitesnake fornece boa dose de hard rock clássico