Saudosista, atual e subversivo, conheça o disco de estreia de Leo Fazio

O disco de estreia de Leo Fazio, “Sangue Pisado & A Música do Século XXI” surge no cenário independente nacional repleto de histórias. Traz como principal influência “A Música do Século XX de Jocy”, álbum que completa 60 anos em 2019 e é a única experiência popular de Jocy de Oliveira, pianista erudita mundialmente conhecida. No fonograma, Fazio superou-se e compôs, produziu e executou nove instrumentos: voz, violão, clarinete, baixo, erhu (violino chinês), violoncelo, bandolim, cuíca e percussão. O disco está disponível nas principais plataformas de streaming.

O “Sangue Pisado & A Música do Século XXI” foi produzido em parceria com Everton Surerus (Estúdio Canil Recs) e conta com 12 faixas. As influências do álbum não se limitam a bossa nova de Jocy, entram também Elis Regina, Racionais, Milton Nascimento, Maria Beraldo, John Coltrane, Villa-Lobos, Sonic Youth, Cartola, entre outros. As letras variam da agressividade à uma doce esperança, com mergulhos no modernismo brasileiro, no surrealismo, na poesia beat e marginal paulista, como Roberto Piva, Claudio Willer e Bichelli.
“A ideia principal do disco é explorar a música brasileira de uma forma mais subversiva e em um contexto contemporâneo. Descobrir outros rumos sonoros e uma linguagem poética mais livre e experimental. De forma peculiar, abordar temas como o amor, o desejo, a perda, a sua própria relação com a depressão e diversas outras crônicas sobre nosso cotidiano. Tomando como a maior influência do disco da musicista curitibana Jocy de Oliveira. Inclusive, gravei uma versão de ‘Sofia Suicidou-se’, música que abre o álbum da artista”, explica Leo Fazio.
Primeiro trabalho da carreira solo de Leo Fazio, conhecido na cena indie paulistana como integrante da banda Molodoys, o álbum “Sangue Pisado & A Música do Século XXI” nasceu durante residência artística de três meses no Canil Recs, em Juiz de Fora (MG).
“É o primeiro passo concreto, então é o mais importante. Acredito que eu consegui chegar onde eu queria artisticamente e agora estou pronto pra seguir em frente em busca dos novos caminhos que esta experiência me abriu”, finaliza Leo. O “Sangue Pisado & A Música do Século XXI” foi produzido por Everton Surerus em parceria com Leo Fazio. A foto de capa é de Matheus Miranda, com diagramação e edição de Leo Fazio.
Todas as faixas foram compostas pelo artista, exceto “Sofia Suicidou-se”, de Jocy de Oliveira. Participaram também os músicos Márcio Reis (bateria), Pedro Tavares (baixo), Everton Surerus (baixo e guitarra), Luiz Henrique Andrès (teclado) e Melissa Guedes (locução 1). Como participações especiais o disco contou com Gustavo Coutinho (piano), Murilo Sá (backing vocals), Pedro Pastoriz (locução 2), Skipp Worm aka Alejandro (Casio DG-1),  Vitor Marsula (sintetizadores) e Matheus Cornely (beat e sintetizadores). O trabalho também contou com Leonardo Chagas, poeta que participou com sussurros na faixa que abre o álbum.
Ouça “Sangue Pisado & A Música do Século XXI”:
Spotify: http://bit.ly/SPMS_Spotify
Deezer: http://bit.ly/SPMS_Deezer
YouTube: https://youtu.be/c0u9rqzTSW0
iTunes: http://bit.ly/SPMS_Apple

Total
0
Links
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ant
Homem-Aranha: Longe de Casa ganha novo teaser trailer

Homem-Aranha: Longe de Casa ganha novo teaser trailer

Peter Parker (Tom Holland) está em uma viagem de duas semanas pela Europa, ao

Prox
Novidades de Janeiro 2019 no Xbox Game Pass

Novidades de Janeiro 2019 no Xbox Game Pass

2019 começou muito bem para quem assina o Xbox Game Pass, com a adição de jogos

Sugestões para você: