Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Criador da aclamada HQ ‘Fábulas’ declara domínio público após briga com a DC

“Fables”, que originalmente foi publicado de 2002 a 2015 como parte do selo Vertigo da DC, foi criado sob um acordo que deu propriedade exclusiva a Willingham, explicou o escritor em um comunicado divulgado na quinta-feira. E a decisão de distribuí-lo vem em resposta ao que ele descreveu como anos de negociações de má fé por parte da DC Comics e de sua controladora, a Warner Bros.

Filosoficamente, Willingham disse que se opõe ao estado atual da lei de direitos autorais e não quer ser hipócrita. Mas ele também descreveu “uma porta giratória de estranhos, sem integridade mensurável, que agora optam por interpretar cada faceta do nosso contrato de uma forma que só beneficia a DC Comics e suas empresas proprietárias” que substituíram as pessoas com quem ele inicialmente contratou. Como resultado, “as propriedades das Fábulas caíram em más mãos”.

Entre outras coisas, Willingham alegou que a DC Comics falhou repetidamente em consultá-lo sobre novos projetos, licenciou personagens e conceitos de “Fábulas” a terceiros sem permissão e tentou interpretar os termos do seu acordo para excluí-lo da tomada de decisões. Willingham também escreveu que a empresa tentou classificar suas contribuições para projetos recentes de “Fables” como trabalho contratado e se recusou a pagar-lhe royalties e outras compensações que lhe são devidas.

Fables (quadrinhos)

“Eles praticamente me desafiaram a processá-los para fazer valer os meus direitos, sabendo que seria um processo longo e debilitante. Em vez disso, comecei a considerar outros caminhos a seguir”, disse Willingham.

Citando sua idade – 67 anos – e situação financeira, Willingham decidiu não processar. Em vez disso, escreveu ele, “a única coisa em nosso contrato que os advogados de DC não podem contestar, ou reinterpretar em seu próprio benefício, é que sou o único proprietário da propriedade intelectual. Posso vendê-lo ou entregá-lo a quem eu quiser.”

O escritor observou que tornar “Fábulas” de domínio público não prejudica seu contrato com a DC Comics. “Ainda não consigo publicar quadrinhos de ‘Fábulas’ através de ninguém além deles. Ainda não consigo autorizar um filme de ‘Fábulas’ através de ninguém além deles. Também não posso licenciar brinquedos ‘Fábulas’, nem lancheiras, nem qualquer outra coisa. E eles ainda têm que me pagar pelos livros que publicam. E não vou desistir do outro dinheiro que eles devem”, disse ele.

Fables (quadrinhos)

“Para o bem ou para o mal, DC e eu ainda estamos presos neste casamento infeliz, talvez para sempre”, acrescentou.

Com as obras não mais protegidas por direitos autorais, as pessoas que não assinaram o contrato podem usar a propriedade intelectual como quiserem, disse Willingham. A extensão total do que foi tornado público e do que ainda pertence à DC Comics não é conhecida. Também não se sabe se a DC tentará ou não lutar contra a decisão de Willingham.

“Fábulas” conta a história de vários personagens da mitologia, lendas, fábulas e folclore — incluindo Branca de Neve, o Lobo Mau, Cinderela, Garoto Azul e Príncipe Encantado — que vivem em segredo na cidade de Nova York, séculos depois de serem forçados a fugir. suas terras mágicas. Explorando a política e a história da vida real, bem como o folclore e a literatura meticulosamente pesquisados, a história cobre drama familiar, guerra e rebelião, reflexões metaficcionais e até mesmo uma mensagem de Hollywood.

A transição entrou em vigor nesta sexta-feira! Parabéns Willingham!

Com informações via TheWrap.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Festival de Cinema de Vitória divulga programação gratuita dos seis dias de evento

Próxima publicação

Demi Lovato lança álbum com versões roqueiras de seus hit, ouça “REVAMPED”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir