em

Beleléu, o melhor lançamento independente de 2009

Beleléu

A escolha de Beleléu para o nome da antologia de Daniel Lafayette, Eduardo Arruda, Elcerdo, Stêvz e convidados, só pode ser explicada como uma pegadinha para o incauto leitor. Atesto isto por ter sido eu também alvo deste artífice, pois levado pelo título lúdico, não estava preparado para o que viria por vir.

Era uma vez, na sala de espera da vida, uma revista quadrada, mais ou menos engraçada, de poucas e boas palavras. Lá dentro moravam peixes de cachimbo e cartola, zumbis e fantasmas carentes, em aquários pequenos demais, com perigo de aquecimentos globais, duelando com caubóis e naves espaciais, amarrando as donzelas no trilho do trem, mandando cartas e encomendas urgentes do além, furando a greve dos pombos-correio, amarrando o cadarço com nós de marinheiro, batucando tamborins de gato e sapato sem prato nem rato, marcando jantares românticos frustrados, competindo em concursos de beleza e de nado sincronizado, contra cientistas malucos e monstros atletistas, frangos de padaria e borboletas caretas, navios piratas, garrafas e ilhas desertas, guarda-chuvas, meteoros e bombas atômicas, procurando promoções de carrinhos de supermercado, bichos de estimação e contas de veterinário, paraquedistas sem pára-quedas, cucos e dinossauros, esbarrando com robôs indecisos, palhaços deprimidos, sessões de psicanálise, lobo mau e os três porquinhos armados até os dentes.

O álbum é isso e assim, dispensando mais explicações fica apenas a recomendação.

O lançamento da Beleléu rolou na FIQ, mas amanhã, 22 de novembro, a Livraria da Travessa de Ipanema lança o material pomposamente para os cariocas a partir das 16 horas. Agora, se você não mora no Rio ou não pode comparecer, no site oficial da publicação há uma lista de pontos de venda pelo Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *