em , , ,

Copa de Arte e Cultura: dicas do Grupo E

Essa semana a equipe de autores do Ambrosia resolveu entrar no ritmo da Copa do Mundo. Porém, como não somos especialistas em futebol mas somos viciados em cultura, resolvemos trazer a vocês a série Copa de Arte e Cultura do Ambrosia.
Como funciona?
Bem, cada autor escolheu 1 dos 8 Grupos da Copa e ficou encarregado de oferecer aos leitores uma ou mais contribuições do que consideramos haver de interessante no movimento de arte e de cultura de cada país.
Deu trabalho… Coube a nós muita pesquisa para investigar o que esses países oferecem de legal para o mundo (tanto para países menos conhecidos como a Bósnia e Herzegovina quanto para nosso “sempre-em-casa” Brasil, as opções sempre se multiplicam conforme nos aprofundamos no tópico).

Mas acreditamos ser importante aproveitar esse momento para golearmos a favor da diversidade cultural.
Por isso convidamos todos a ficarem cada vez mais curiosos e interessados na troca mundial tanto quanto a gente.

GRUPO E
FRANÇA: Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême
Dossier-de-Presse-41e-Festival-International-de-la-Bande-Dessinee-d-Angouleme-2014-628x207
Criado em 25 de janeiro 1974, é um dos maiores festivais de quadrinhos do mundo e ocupa as ruas, ladeiras e muros de Angoulême (cidade no centro-oeste da França). O Festival conta com diversas feiras, tendas temáticas, gente do mundo inteiro e shows. Também rolam homenagens e premiações – tudo voltado pro universo de HQs. Em 2014 foi realizada a 41ª edição do Festival. O escolhido para o Prêmio Especial do Júri foi o quadrinho La Proprieté do israelense Rutu Modan. A cada edição é nomeado um novo presidente e para 2015 estimam-se os nomes de Bill Watterson, autor de Calvin e Haroldo, Katsuhiro Otomo criador de Akira e do excepcional mago Alan Moore.
46_p0
EQUADOR: Oswaldo Guayasamín
Oswaldo Guayasamín nasceu em Quito no Equador e tinha pais de descendência quíchua (povo indígena da região andina). O traço em suas pinturas lembra os traços do “pintor do povo” Cândido Portinari. Ambos marginais em suas formas modernistas. Demasiadamente tocado pela influência étnica e mestiça de sua origem, Guayasamín foi também um pintor do povo latino e retratava em suas obras o que havia de mais harmônico e de mais gritante na sociedade. Suas séries mais conhecidas chamam-se Huacayñán, La Edad de la Ira e La Ternura.

Madre y Niño
Madre y Niño

Las Manos de La Protesta
Las Manos de La Protesta


HONDURAS: Matamuerte

Um exemplo excêntrico da cultura hondurenha é a dança tradicional chamada Matamuerte (algo como “morte mata”). A dança é acompanhada por percussão e por umas movimentações muito doidas. Isso porque (como pode ser visto no vídeo) um corpo fica no centro do “palco” imóvel como se estivesse morto e os dançarinos bailam em volta do corpo, se divertindo e cutucando de vez em quando para ver se o corpo está vivo ou morto.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=qZJT-CgXnik[/youtube]

SUÍÇA: Max Bill

Pintor, designer, arquiteto e pensador da arte. Max Bill experimentava de tudo que estava ao seu alcance. Estudante da Bauhaus (primeira escola de design do mundo) entre 1924 e 1927. Sua estética vinha do pensamento funcionalista, que acreditava que o projeto/a forma devia ser orientado pelas necessidades sociais e pela experiência humana. Uma forma de humanizar novamente as estruturas que vinham sendo muito influenciadas pela industrialização e ficando só na forma pela forma.
Suas obras influenciaram diretamente o surgimento do concretismo no Brasil.
concretismo
c5d76575d17f84ec45a11769700b32ae
max-bill-12

Participe com sua opinião!