em

Lançamento de Balaiada: A Guerra do Maranhão

aaa2A guerra da balaiada, que completou 170 anos no ano passado,  foi uma das maiores e mais representativas rebeliões registradas no Maranhão, ganhando repercussão por todo o país. Problemas econômicos e questões políticas deram início à guerra, posteriormente assumida pelas classes mais afetadas: vaqueiros, artesãos, escravos fugitivos, desertores das forças armadas, quilombolas e sertanejos.

Em 1838, o conflito foi iniciado quando Raimundo Gomes, chefiando um grupo de vaqueiros, retirou da cadeia seu irmão e outros homens detidos para prestar o serviço militar. Em seguida juntaram-se aos manifestantes o fabricante de balaios Manuel Francisco dos Anjos e Cosme Bento, um ex-escravo líder de cerca de 3 mil escravos fugidos.Logicamente a revolta não foi tratada com delicadeza pelo governo, sendo enviado o comandante Luis Alves de Lima e Silva, liderando uma tropa de 8 mil homens, para controlar a situação.

É nesse clima de manifestação popular e luta pela melhoria social que o roteirista Iramir Araújo se inspirou para concluir sua obra Balaiada: A Guerra do Maranhão, com arte de Ronilson Freire e Beto Nicácio. Após diversos atrasos na publicação, finalmente o álbum em quadrinhos será lançado ainda nesse mês. A iniciativa tem como objetivo mostrar novos ângulos sobre o importante acontecimento histórico e despertar o interesse de jovens estudantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

2 Comments

Aprendiz

Publicado por Cezar

Confira Brandon Routh como Dylan Dog

Confira o novo visual de Sinestro em Green Lantern: First Flight