em

Marvel ReEvolution e a ascensão de uma nova era

Após ser adquirida pela Disney, a Marvel Comics começou a investir pesado no novo mercado de quadrinhos digital, uma resolução nada surpreendente já que no momento da transação o maior acionista da Disney era Steve Jobs – que como todos sabem era mentor da Apple e toda linha de iProdutos.

Pois bem, tendo em vista esse panorama fica simples compreender o empenho da Marvel em se lançar no mercado digital, principalmente abraçando o iPhone e o iPad. Mas não pense que esta é uma estratégia suicida, já no primeiro ano as vendas de quadrinhos digitais se mostraram bastante surpreendentes, com a Marvel anunciando uma queda de preço nos impressos graças a vendas na AppStore. De lá para cá milhões de novos gadgets foram vendidos, sem dúvidas impulsionando ainda mais as vendas da Marvel Comics.

Chegamos então no momento presente. Ainda fortemente ligada à Apple, a Marvel começa a deixar de lado seu aplicativo de vendas para lançar suas edições digitais na nova área de quadrinhos da iBookstore, que até o último ano disputava com o AppleTV o título de patinho feio da empresa. Com um acervo inicial de oitenta títulos, e muitas promessas feitas, esse novo passo da editora a coloca diretamente em contato com o consumidor final, tendo somente a Apple como intermediária nas transações (já que o aplicativo Marvel era fornecido pela Comixology).

Como se não bastasse essa novidade, a Marvel também anunciou a iniciativa ReEvolution, uma nova maneira de pensar na produção de quadrinhos e sua interação com os leitores. E a primeira novidade, e mais impactante, é a utilização de realidade aumentada nas próprias edições impressas. Entenda melhor na prévia em vídeo abaixo:

Através de uma parceria com a plataforma Aurasma, a idéia inicial é apresentar trailers, prévias, recaptulações e outros extras através de um aplicativo a ser lançado pela Marvel. Segundo a editora, é uma maneira de adicionar extras aos seus quadrinhos como já existem nos DVDs e Blu-rays para games e filmes.

Mas a iniciativa vai mais longe, ainda buscando inovar, a empresa detalhou que através do selo Marvel Infinite Comics está buscando novas maneiras de pensar os quadrinhos digitais, já que não há necessidade de enquadrar os mesmos em páginas ou cores fixas. Surge daí toda uma nova gama de possibilidades de narrativa para escritores brincarem.

As primeiras mudanças e experimentos começam com o evento Vingadores vs X-Men, grande crossover da Marvel para 2012. Vamos ficar de olho.

Participe com sua opinião!

Ímpar

Publicado por Salvador Camino

ModeradorVerificadoPromotor(a)EscritorGamerRepórterMusicistaFotógrafo

“Albert Nobbs” serve ao extremo talento de Glenn Close. E só.

“O Espião que Sabia Demais” submerge sua boa premissa num mar de pretensões