em

Novo Lanterna Laranja?

[o artigo contém spoilers]

A DC Comics acaba de surpreender seus leitores nas solicitações de junho desde ano. Com os títulos do Lanterna Verde encaminhando para A Noite Mais Densa (The Blackest Night), as novas Tropas começando a surgir, eis que temos a capa da Green Lantern #42, onde podemos ver Hal Jordan cobiçando uma bateria laranja. Confira, clique na imagem para ampliá-la:

green-lantern-42

A edição é o capítulo final do arco Agente Laranja com desenhos de Philip Tan e roteiro de Geoff Johns. Depois de Hal usar alguns anéis amarelos na Guerra dos Anéis (Sinestro Corps War), posteriormente dominado pela ira do poder vermelho, atualmente usando um anel azul, ele irá deixar a avareza tomar conta do seu ser? Porque Hal Jordan é tão importante assim para que todas os espectros emocionais irem em sua direção?

O que eu acho? “My preciousssssssssssssssssss!”

Lam.

39 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Mas graças a ele a DC está indo no melhor caminho possível, amarrando pontas soltas e reformulando tudo.

    Fora que o Hal Jordan tem uma conexão muito forte com a Bateria de Oa, em Last Will e Testament provou que essa essa conexão é tão grande, que ele criou um filho feito de Força de Vontade para guiar seu melhor amigo e mecânico Tom Tomalku para reconstruir Oa. Faz MUITO sentido ele ser alvo das Forças dos Espectros Emocionais.

    Única coisa mal explicada é o porque do Sodam Yat ser o atual Ion, ele tem nada de especial por enquanto.

  2. Faz muito sentido não usar uma lula gigante num filme também né. Afinal, uma explosão é mais “elegante”. “Faz sentido” é a pior desculpa inventada nas HQs americanas, o Dan DiDio adora usá-la, e isso faz dele o editor mais criticado da história – só não foi pra rua pq o Paul Levitz protege o cara. Ficar tempo demais escrevendo uma coisa caduca o escritor. Aconteceu com o Bendis no Aranha, que é um puta autor. Brubaker saiu de Demolidor pra não acontecer o mesmo. Na DC isso tá acontecendo com o Johns, cujas histórias estão com uma simplicidade tão grande, quea coisa deixou de ser boa e tá ficando besta e, pior do que isso, PREVISIVEL DEMAIS. Ele precisa mudar os ares antes que seja tarde demais. Tá na hora de um cara como o Tomasi tomar as rédeas absolutas dos Lanternas e deixar o Johns fazer alguma coisa diferente.

  3. Ele é o sujeito mais fraco dessa bagaça toda chamada tropa dos lanternas verdes, então eles disfarçam essa falta de atrativos como essas investidas do poder vermelho, amarelo e azul, até o Guy Gardner, Salaak e o Kilowog têm mais personalidade do que ele… Sei que por dentro ele tem toda uma bandeira em forma de arco-íris, mas não precisavam tornar óbvio por fora também, não é?

  4. Q nada seus Marvetes e Fanboys de Batman pra Que Mais susetivel a Todas as emocoes doque um humano e principalmente o Hal q nunca controlo as emocoes afianal todo humano e capaz de Provocar o Medo, A Raiva, A fé, A Avareza e a Força de Vontade.

    E o Johns naum e subjetivo como o morrison se vc naum acompanhar tudo q o careca esreve vc naum vai enterder bulhufas[vide Sete soldados com A Crise Final]
    Johns atrai fãs e o Morrison Afasta!!!!!!!

  5. Fake encima de fake faz todo o sentido possível, o cara emite uma opinião e logo em seguida coloca seus fakes para concordar com ele e atacar aqueles que tenham pensamento divergente, assim vão acabar como os reis da popularidade

  6. Acho interessante o mais humano dos Lanternas ter essa passagem pelos anéis diferentes.
    Gosto do mundo de possibilidades essa saga está proporcionando ao personagem.
    Gostei do visual da ilustração
    Desde que ele não vire sapo, tá tudo bem rs

    Esse seu fake é de doer, Lam, rs
    🙂

  7. Nunca gostei do Hal. Sempre achei ele um péssimo representante dos Lanternas.

    No entanto, respeito a opinião do Lam sobre ele.

    O que eu acho que fica falho nessa história é mostrar que o cara pode controlar todos os tipos de anéis porque ele passou/passa por todas essas emoções.

    Gente, que ser humano não passa por isso? Se é assim, até eu posso usar o anel.

    NO ENTANTO, como já falaram bem. o Hal nunca controlou muito bem as suas emoções. Se ele não as controla adequadamente, como diabos ELE USA O ANEL?

    • Guilherme , excelente questão!
      Antes só, acho engraçado vc não gostar do Hal como Lanterna Verde, mostra a nossa distância, pois eu conheci um Lanterna Verde pelo Hal, vc provavelmente deve ter conhecido o Guy pela Liga Cômica ou o John pelo desenho animado, ou o Kyle … Ou vc pode ter gostado mais deles, talvez, mas continuo achando engraçado. Hal pra mim É o Lanterna Verde, Por mais que eu esteja gostando do novo Ion (eu tenho uma predileção pela raça dos daxamitas e ele é uma criação do Alan Moore, dai então eu sou simpatico ao personagem de graça) ainda vejo todos os outros lanternas como secundarios nas aventuras do Jordan.

      Quanto a sua questão, acho que o problema é o acumulo de traumas que Hal vem acumulando na sua cronologia. E talvez eu possa arriscar que a questão não é controle , mas sua Vontade seja extamente focado pelo suas emoções de coragem e de respeito a qualquer forma de vida.
      E acho que essa é exatamente a força do personagem , é como se a vontade dele fosse tão poderosa que precisasse de um foco como esses sentimentos de bravura e compaixão para gua-la.
      E a graça dessa saga é exatamente ele estar em crise, curto muito ver esses personagens que eram icones pop de outrora representando tão bem a inquietação do homem contemporâneo.
      E já que o Lam citou, é a mesma coisa que o Frodo em relação ao Anel Um
      , se ele fosse completamente incorruptivel, a historia não teria a menor graça.

      É o que eu disse, contanto que ele não vire sapo, pra mim tá muito divertido. rs

    • O primeiro lanterna que eu conheci foi o Hal. Só que não gostava muito dele.

      Quando veio o Guy eu achava melhorzinho. Simpatizava mais com ele.

      Depois conheci o John (pelo desenho) e gostei do estilo do personagem. O cara não tem os “mimimi” do Hal. Catava a Mulher Gavião (tem que ser MUITO MACHO para pegar uma mulher que voa) e tinha um semblante mais sério. Lembro de um episódio que ele estava sem o anel e tinha ido para uma realidade alternativa em que a 2ª Guerra Mundial não havia acabado. O cara era tão foda que lutou na guerra mesmo sem os poderes!

      Depois conheci o Kyle. Isso ocorreu justamente quando o Hal virou o Parallax. Como não simpatizava com ele de jeito nenhum, e o cara já estava virando vilão, vi no Kyle (o último lanterna) o personagem ideal.

    • É o que eu sempre digo, o Jon é o melhor Lanterna Cara. Quando ele ganhou uma anel o Hal Jordan ficou putinho, só relembrando o que eu escrevi na resenha “As Maiores Histórias do Lanterna Verde” http://www.ambrosia.com.br/2008/07/16/resenha-as-maiores-historias-do-lanterna-verde/

      “Em O Mal Sucumbirá Ante Minha presença, de Green Lantern 87 (1972), finalmente uma história pelo genial Dennis O’Neal com arte do não menor Neal Adams, a história apresenta a escolha de John Stewart como Lanterna Verde e é simplesmente fabulosa, o que torna ainda mais inexplicável neste encadernado termos quatro edições escritas pelo Broome e apenas uma pelo O’Neal, sem dúvida alguma a melhor história do encadernado (e conseqüentemente a do Lanterna de todos os tempos?)”

      O Jordan dos quatro Lanternas ao meu ver sempre foi o pior, ele só se mantém por ser o personagem original. O Kyle também é muito melhor que o Hal, mas ele deu azar de surgir nos lastimáveis anos 90 da DC, onde pouca coisa se salva.

  8. A questão do Poder Verde não é o controle, mas sim a quantidade. No caso, o Hal sempre teve muita Força de Vontade, por isso ele entrou para Tropa, mais as demais emoções sempre mostrou um certo descontrole, antes dele ser possuído pelo Parallax, várias emoções explodiram de uma vez só.

    Quando Coast City foi para os ares, ele teve medo da solidão, raiva dos Guardiões e sede de poder para reconstruir sua cidade, de repente esse foi o gatilho para essas forças emocionais quererem tomar o controle dele, pelo menos foi a oportunidade que o Parallax aproveitou, mas pode ter chamado atenção das outras Entidades Emocionais.

    Por isso Geoff Johns é foda, a parada sempre esteve ali, na nossa cara, ele simplesmente resgatou e explorou. Nada de ficar inventando moda para ficar confundindo leitor. O que adianta fica mirabolando vários histórias com mil sacadas geniais obscuras que poucos vão entender ou saber contar para os outros depois.

    • Como você mesmo gosta de dizer Lam, isso que você falou é bem massa véio.

      Vou resumir aqui a guerra do anel + noite mais densa:

      Do nada um monte de tropas começam a surgir num período de tempo super curto e todo mundo acha isso normal, ai mandam o cao que a violeta já existia etc etc – só que se esquecem que elas eram uma raça e nao uma tropa (mega furada). Entao, as tropas começar a brigar entre si e cada edição só mostra porradaria bem estilo x-men anos 90, enquanto isso o Hal Jordan vai fazendo troca troca nas tropas e no final todo mundo vai se batendo até surgir a tropa preta. Ai alguns inimigos vao se tornar amiguinhos…

      Deveria vir escrito nas capas: Recomendado para pessoas que nao querem gastar neuronios lendo!

  9. @Lam
    “Por isso Geoff Johns é foda, a parada sempre esteve ali, na nossa cara, ele simplesmente resgatou e explorou. Nada de ficar inventando moda para ficar confundindo leitor. O que adianta fica mirabolando vários histórias com mil sacadas geniais obscuras que poucos vão entender ou saber contar para os outros depois.”

    Ok ok parabéns, mas ele já cumpriu o objetivo dele, e agora tá caducando. Peter Tomasi nos Lanternas Verdes já. O Johns tem que escrever um bagulho diferente. Projeto autoral, transformar o Aquaman em um personagem bom de novo… não ficar nessa punheta

  10. O Johns vai escrever o Barry Allen e deve resgatar o Aquaman.

    Puts, e Batman RIP foi o que? Explosões e mais explosões, e teve o final mais clichê possível que deu em NADA! Fora que o Morrison tentou manter segredo do que iria acontecer com o Batman, mas você já sabia desde Crise Final #1, pois a história era pós-RIP.

    Johns já tava começando a tudo desde o título do Renascimento em dezembro de 2004, já tava amarrando as coisas fazem quase 5 anos.

  11. Bat-Caverna Boom! Helicóptero Boom! Fora que desde cedo era obvio que a Jezebel ia fazer merda e o Coringa virou um açougueiro, vergonhoso.

    Depois vem reclamar de Hal Jordan colorido, o que foi aquele Batman maluco de Zur-En-Arrh? Não existiu algo mais idiota.

  12. Lam, você usa mais fakes do que o Hal ultiliza anéis ou estão empatados? Troca de fake do mesmo jeito que a vespa trocava de uniformes?
    Confessa aí, agora está entre amigos… Como diria o Tiririca: você é fake mas é meu amigo

  13. Pelo jeito, o Hal Jordan pode se tornar um White Lantern – Lanterna Branco. Digo isso pois corre por aí que a vitória sobre a tropa negra (espectro preto, escuro) será com a soma de todas as cores (arco-iris), o que forma o branco. Uma tropa branca, em si, poderia ser a única coisa a derrota a negra, pois representam espectros absolutos de luz (Claro-Luz e Escuro-Sem Luz).

    Isso acima é apenas a minha opinião.

    Mas voltemos à lista da conspiração:

    Lanterna: Hal Jordan
    Tipos de anéis usados: 4
    Anéis usados/experimentados: Verde (padrão), Amarelo, Vermelho, Azul.
    Anéis não usados/experimentados: Laranja, Violeta (será?), Índigo, Preto (será?).

    Quem gostar desse fichário o preencha com os anéis restantes, se surgirem, bem como com algum caso de outros lanternas semelhantes (que usaram anéis de diversos tipos), se quiserem.

    Valeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ativista

Publicado por Lam

Hugo Award: sai lista de concorrentes e abre uma categoria para HQs

Keith Giffen em The Authority!