em

Quadrinho nacional de terror Beladona chega à reta final no Catarse

Beladona, quadrinho de terror escrito por Ana Recalde e ilustrado pelo Denis Mello está na sua última para financiamento coletivo pelo Catarse, que apesar de cada dia mais concorrido, é a grande plataforma de lançamento para quadrinhos independentes.
Publicado gratuitamente no portal Petisco desde Dezembro de 2011, Beladona já foi indicado a três prêmios HQ Mix – junto com a indicação do Denis como novo talento de desenho. O projeto ganha contornos de edição de luxo com 185 páginas coloridas que englobam os três capítulos principais da série, dois capítulos intermediários exclusivos para o livro e 15 páginas de extras.
Para quem curte histórias de terror, Beladona é um prato cheio, também pela parca produção nacional do gênero, mas principalmente pelo carinho e atenção que a Ana e o Denis colocam no projeto.
beladona-petisco-webcomics

A História

Samantha é uma menina atormentada por pesadelos terríveis todos os dias desde os 7 anos de idade. No entanto, tais pesadelos não são mero acaso.
A história se passa em dois mundos: Primeiro o mundo real, especificamente no Rio de Janeiro. Mas não o das praias, nem nenhum dos estereótipos, apenas se passa na cidade e isso pode ser visto eventualmente, como no Colégio Pedro II onde a personagem estuda além de uma passagem pela Lapa e demais detalhes de ambientação. Segundo, e que na verdade é onde se passa a maior parte de nossa história: um mundo que chamaremos a principio de ‘mundo dos pesadelos’.
Não é utilizado um nome especifico para esse ‘mundo dos pesadelos’, mas se revelará como sendo muito mais do que mero palco para sonhos ruins, e qualquer detalhamento nesse sentido poderia estragar muitas surpresas que valem a pena dentro da história.
Nesse mundo dos pesadelos, Samantha é perseguida constantemente por espíritos que a atormentam e que claramente desejam seu mal, mas isso tudo tem um propósito sinistro e que a levará a uma jornada com momentos de superação, descoberta, euforia, depressão e violência.
O terror empregado em Beladona também varia, passeando pelo terror de susto no primeiro capítulo, subindo ao terror psicológico no segundo, e o clima de terror não se limita ao mundo dos pesadelos. O suspense impregna a história do início ao fim, o que vêm deixando muitos dos leitores regulares da história no site em apuros ao ter de esperar uma semana para ler a página seguinte. Roem unhas, arrancam os cabelos…
beladona-roteiro-de-ana-recalde
Participe e garanta seu exemplar com recompensas!

Deixe sua opinião

Uma autoanálise chamada "Boyhood"

[ galeria ] Manuel Messias, ou "O pescador morreu há 100 anos"!?