Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Reboot DC Comics: Sete razões para o Superman ser solteiro

A situação afetiva do Superman, após o já controverso reboot da DC Comics, é um dos grandes tópicos discutidos entre os fãs nas últimas semanas. Casado com Lois Lane há quase 20 anos nos quadrinhos da editora, o herói voltará ao seu status quo original, e muito provavelmente alimentará uma relação afetuosa com a Mulher-Maravilha.

Antes de destacarmos cada tópico, todos levantados pelos críticos do Newsarama, vamos relembrar os últimos fatos na vida do herói que chamaram a atenção da mídia. Primeiramente, em Action Comics #900, uma história de famoso David S. Goyer colocou o Superman como um cidadão mundial, numa controversa renúncia à sua cidadania estadunidense. Após semanas de debates, a DC resolve mudar tudo que tem e o coloca no ponto inicial de sua carreira.

Numa das maiores jogadas comerciais de toda sua história, a DC Comics reinicia também a numeração de suas revistas, fazendo Action Comics voltar à edição número um após 73 anos. Quem assume é Grant Morrison, escritor que mais vendeu quadrinhos em 2010, e muito conhecido por utilizar influências de contra cultura, mitologia e magia do caos em sua narrativa. Este Superman de Grant Morrison será a pedra angular do novo Universo DC. Sendo assim, o casamento de Superman e Lois Lane não existe mais. Nada impede que um dia ele aconteça novamente, mas a DC faz questão de deixar as coisas como eram no começo por um bom tempo.

Com tudo isso definido, vamos comentar o que o Newsarama levantou sobre a nova situação do herói e como ela pode ser vantajosa para a editora, para os fãs e para a cultura pop.

7-) Novos Leitores e Atenção da Mídia

Editoras são um negócio. Tudo que a DC faz é por bons negócios e para manter a empresa respirando bem. Portanto, qualquer mudança em seus personagens principais que afetem o um status quo muito bem estabelecido, atraem atenção de milhares de pessoas e isso dá lucro. Dependendo da mudança, a atenção de novos leitores também é atraída, e com isso a editora respira melhor.

Se conseguirmos convencer as pessoas de que estamos fazendo algo verdadeiramente novo, temos grandes chances de trazer mais gente para o barco“, disse o co-publisher Dan DiDio. Quadrinhos formam uma mídia vendida em lugares específicos e que atraem somente um tipo de pessoa. O anúncio recente da DC Comics conseguiu aumentar, exponencialmente, sua distribuição, alcançando os formatos digitais e grandes lojas de venda a varejo.

Queremos que pessoas que nunca viram um quadrinho na vida tenham chance de baixar algo em seus dispositivos portáteis e darem uma olhada“, falou o também co-publisher Jim Lee.

A atenção dada ao final do casamento do Superman certamente é uma combinação dos fatores necessários para a DC atrair os novatos que precisava.

6-) Superman em outras mídias

Originalmente (e muita gente não sabe disso) o casamento de Lois Lane e Clark Kent fora planejado para ser um evento exclusivo do seriado Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman (aquele mesmo, de Teri Hatcher e Dean Cain). Em 1996 os dois se casaram, então a DC Comics agilizou as coisas para lançar um quadrinho na mesma época.

Hoje, quinze anos depois, a Warner. está concentradíssima nos cinemas, sendo que um novo filme do herói sai em 2012 com o inglês Henry Cavill no papel principal. O filme contará a origem do Superman, ou seja, de um homem solteiro. Isso facilita a definição dele para a mídia cinema e permite um crescimento mais orgânico – além de facilitar num possível longa-metragem da Liga da Justiça.

Sendo assim, o Superman também fica alinhado com várias mídias: nos quadrinhos, no cinema e na mais recente série de TV, Smallville.

5-) A Lois Lane de Flashpoint

Lois Lane ganhou uma inesperada atenção na série Flashpoint, nova saga da DC Comics que serve de gatilho para o reboot. Com a minissérie spin-off Flashpoint: Lois Lane and the Resistance, a ex-jornalista é líder de uma força para derrubar a guerra dos dois reinos fascistas que assolaram a política e a economia mundial. Na história, Lois é solteira e nem sequer ouviu falar da existência de um Superman.

A dupla britânica Andy Lanning e Dan Abnett, responsável pela minissérie, deixou claro que ela está bem definida como todos conhecemos (independente, certeira e cheia de atitude), mas está colocada num contexto diferente, daí sua liderança numa revolta.

O final de Flashpoint acontece em 31 de agosto, mesma data em que o novo Universo DC se inicia.

4-) A Marvel conseguiu

Peter Parker fez um pacto com Mefisto que apagou seu casamento pra sempre em 2007/2008. A decisão da Marvel, considerada uma das mais terríveis no início (porém uma das mais interessantes tempo depois) marcou época, e colocou o Homem-Aranha nas alturas mais uma vez. Literalmente, num passe de mágica, tudo se foi e o herói voltou a seu status quo original.

J. Michael Straczynski, um dos nomes envolvidos neste revamp do Aranha, mas que se recusou a fazer a coisa da forma como foi (deixando o espaço livre para o então editor-chefe Joe Quesada executar a tarefa de demonizar tudo), acredita que tanto para Peter como para Clark, estar solteiro ou casado é apenas uma questão de visão. “Pode-se brincar com os dois personagens de qualquer forma, mas estando solteiros é mais fácil de colocar vários coadjuvantes e aumentar a gama de personagens e relações“.

O precedente de Parker deixou a DC interessada em fazer o mesmo com Clark. Desde 2002 a editora fica abaixo da Marvel em vendas, com raríssimas exceções nestes anos todos. A esperança é de que a situação acabe invertida.

3-) Uma verdadeira máquina de empatia

Outro grande escritor, o estadunidense Kurt Busiek, guiou o herói nos últimos anos, além de ter sido muito elogiado e aclamado por seu trabalho Superman: Identidade Secreta, uma história que recontava a origem do mito fincada no mundo real, acredita que o casamento causa danos à própria simbologia do herói.

Segundo Busiek, “o casamento deu uma história muito boa, mas eliminou uma parte muito importante do mito: a eterna disputa entre as duas personalidades – a face conhecia do público e admirada por tantos, e seu lado humano, fraco e emocionalmente vulnerável“. Busiek ainda complementa: “existe muito valor em explorar o casamento, mas talvez isso devesse ser feito com outros personagens, não com ele. A principal ideia sobre ele parte para o lado oposto disso. O que fez dele uma verdadeira máquina de empatia foi ser acessível a jovens por década“.

Outros escritores gostariam que o casamento tivesse terminado, principalmente o quarteto formado por Grant Morrison, Mark Millar, Mark Waid e Tom Peyer. Grandes escritores da DC e juntos na editora no final da década de 1990, eles tinham um projeto chamado “Superman 2000“, que traria o herói realmente ao século XXI, mas acabou vetado pelos editores dando lugar a Jeph Loeb. O projeto original pode ser visto aqui.

Scott Beatty, autor dos livros Superman: The Ultimate Guide to the Man of Steel (DK Children, 2002) e The Superman Handbook (Quirk, 2006), pensa diferente. Ela acredita que o problema está no foco de exploração da relação deles. “O triângulo amoroso entre Superman, Clark Kent e Lois Lane já durou mais de 3/4 de século, ele precisa acabar. O benefício do casamento está na humanidade e maturidade da experiência” disse Beatty.

2-) Superman: Earth One e Grandes Astros Superman

As duas mais recentes experiências da DC Comics em mudar a visão do herói tradicional mostraram-se um sucesso absoluto. Superman: Earth One, de J. Michael Straczynski e Shane Davis, foi uma graphic novel original contando o mito do herói com um foco mais urbano, atualizado mas não menos simbólico. A história, que alcançou altíssimas vendas em livrarias por todo o território norte-americano, só provou à DC Comics que tal releitura é muito viável e importante: há publico interessado.

Straczynski e Davis já trabalham numa continuação, e o escritor acha o reboot da DC uma ideia muito melhor para eliminar a situação matrimonial do personagem do que o que foi feito com o Homem-Aranha. “Em Superman: Earth One estou escrevendo um jovem Clark, portanto ele pode ter muitas outras relações” disse o escritor.

Grandes Astros Superman serviu para reforçar, definitivamente, a boa relação do escritor Grant Morrison com o Superman. Como dissemos acima, ele pensou em reformular o Superman com amigos escritores já em 2000 e, cinco anos depois, deu início à história mais elogiada do Superman dos últimos 25 anos.

Novamente ao lado do grande parceiro Frank Quitely, Morrison contou sua visão ideal do Superman nesta história, visão essa que acabou virando longa-metragem animado no começo deste ano, tamanho o sucesso de sua história. Lá Clark e Lois desenvolvem uma relação importantíssima, e ela não envolve os dois casados.

1-) Jovem pra sempre

De acordo com a DC, todo o Universo DC após o reboot será mais jovem. As idades dos personagens cairão. “Queremos que nossas histórias mostrem não necessariamente o início, mas o ponto perfeito para a partida, no qual os personagens são mais jovens e as histórias são feitas para o público de hoje” informou Dan DiDio ao jornal USA Today.

Com os desenhos do “novo” Superman divulgados, fica claro que a DC Comics não está mentindo. Superman está mesmo mais jovem e uma nova ideia de sua imagem será propagada. As equipes responsáveis envolvem ninguém menos que Grant Morrison e George Pérez, garantindo total credibilidade ao maior mito dos super-herois de todos os tempos.

A atitude só mostra que a DC resolveu tomar grandes riscos, e com isso, quem sai ganhando, são os leitores.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

“The Good Wife” honra a TV aberta americana

Próxima publicação

Tristes Camelos

Comentários 6
  1. Essa coisa do Superman ficar solteiro para mim é o de menos nesse reboot (que não é reboot!), acho até que a relação como era anteriormente, onde ele gostava dela mas nao tinham algo, funciona melhor. Para mim era na verdade para nem ter esse romance, ele deveria ser mais desapegado, o que poderia render uma busca por alguém mais ampliada (colocando ai sim uma Mulher-Maravilha). Já a Lois podeia aparecer em alguma revista propria junto com Jimmy Olsen em aventuras de investigação jornalistica (coisa que pouco é explorada nos quadrinhos de supers, a não ser na Marvel no tempo de The Pulse e Frontline).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir