Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

The Marquis; de Guy Davis

guy davis, the marquis

Guy Davis é o artista de quadrinhos preferido de um grupo de leitores, principalmente daqueles que acompanham seus traços em B.P.R.D, título escrito pelo Mignola e lançado pela Dark Horse. Poucas pessoas conhecem suas obras anteriores à essa série, mas aparente isso irá mudar.

No ano de 1997 Davis escreveu e ilustrou uma hq chamada The Marquis, que saiu por uma pequena editora, a Oni Press. A história é ambientada em um local chamado Venisalle, espelhado na França da metade do século XVIII, estratificada e controlada pela Igreja Católica, e tem como personagem principal um homem, Vol de Galle, ex-inquisdor que tem a capacidade de ver demônios, muitos dos quais se infiltraram na sociedade em forma humana e Galle combate esses demônios. Mas por trás dessa história de terror/ação Davis aborda conflitos pessoais e religiosos. A história recebeu críticas positivas de nomes como Mike Mignola e Stan Sakai.guy davis, the marquis

The Marquis possui até agora dois volumes, o primeiro lançado em 1997, chamado Danse Macabre e o segundo Intermezzo, esse último lançado entre 2002 e 2003. Particularmente o título Danse Macabre me atrai mais devido também a associação que eu faço entre este e a música de Camille Saint-Saëns. A música, do início do século XIX ilustra a cena da Morte liderando diversas caveiras a noite para sua dança macabra, que segundo a crença aconteceria toda meia noite de Halloween. A música é extremamente forte e lúgubre, de fato combinando muito com a hq, pena que ainda não há um costume ou maneira simples de unir as artes visual e sonora nessa mídia.

Voltando a The Marquis, a proposta é unir essas duas primeiras histórias em um único encadernado chamado The Marquis: Inferno (uma título um tanto dantiano, eu diria) e lançar também um novo encadernado com material inédito chamado The Marquis and the Midwife.

O primeiro título está previsto para sair pela Dark Horse no segundo semestre de 2009 e viria com as histórias todas em preto e branco, exceto na parte que se passa no Inferno, que seria pintada em tons de vermelho (colorida por Dave Stewart). Além disso será colocada uma sessão de rascunhos e capas de artistas convidados: Mike Mignola, Charles Vess, Matt Wagner e Kelley Jones, além das capas feitas para a edição francesa.

No outro título Davis irá trabalhar em torno da idéia de uma encruzilhada na qual Galle se encontra, dentro de uma sociedade secreta no submundo da cidade, aonde a mãe do Inferno e outros demônios se apossam de pessoas inusitadas. Estipula-se que esta história será lançada seis meses depois do primeiro encadernado, porém Davis tem trabalhado em The Marquis apenas em seus momentos de folga do B.P.R.D.

Mas os planos não acabam aí, Guy Davis afirma que pretende lançar mais duas grafic-novels da mesma saga e dar um final à história, segundo suas próprias palavras: “Sempre pensei nessa série com um final definido. Cada capítulo conta uma história fechada e eles podem ser lidos independente um do outro, mas juntos formam uma história maior

Segue abaixo as futuras capas:

guy davis, the marquisguy davis, the marquis

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Stan Lee levará um Super-Herói Gay para o Cinema

Próxima publicação

Star Wars Steampunk

Comentários 3
  1. Não era você que não gostava do Guy Davis?
    Deveria ter citado que ele é um dos principais desenhistas do antigo mundo das trevas da white wolf.
    ótima matéria, eu faço parte do seleto grupo que adora o traço dantesco do Guy.

  2. Pensei em citar o papel dele nos desenhos do antigo WoD, mas achei que não é um trabalho de referência tão bom quanto B.P.R.D, além do que em geral poucas pessoas sabem quem desenha o que nos livros da White Wolf, não é como se as autorias ficassem muito explícitas…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir